Artista potiguar reflete sobre condição feminina em exposição
Natal, RN 24 de mai 2024

Artista potiguar reflete sobre condição feminina em exposição

20 de março de 2024
4min
Artista potiguar reflete sobre condição feminina em exposição

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Problemáticas de cunho social e de gênero, assim como questões de alteridade nas relações humano x humano e humano x animal são temas de grande interesse da jovem artista potiguar Geovana Grunauer. Aos 27 anos, e depois de uma série de participações em exposições coletivas, ela estreia sua primeira individual, “Corpos Cerceados”, na Margem Galeria (Lagoa Nova).

A vernissage acontece na próxima sexta-feira (22), às 19h, com entrada franca. Na ocasião, o projeto Sanskâra Drone Ensemble (Alex Duarte) recebe Filipe Ribeiro para compor a ambientação sonora do lançamento da exposição. A mostra fica em cartaz até 22 de abril.

Em “Corpos Cerceados”, Geovana Grunauer parte de experiências pessoais, leituras e observações para abordar feridas e dores pelas quais muitas mulheres vivenciam no mundo atual.

Mas a exposição também transcende a dor e a fragilidade, procurando instigar para movimentos de mudança e encerramentos de ciclos, simbolizados em obras como “Autorretrato em tempos de negligência e fragilidade física e mental”, pintada com sangue menstrual. Segundo a artista, uma forma de compreensão e cura “de dentro pra fora”, onde o que “o corpo expurga é necessário para se renovar, e a dor é consequência”.

Entre as 10 obras que compõem a exposição também está “Corte na linha tracejada”. De acordo com a artista, uma crítica ao patriarcado por meio da equiparação entre mulher e boi, ambos os corpos colocados na condição de carne, destituídos de sua condição de indivíduos e de suas subjetividades.

"A exposição é sobre o que nos afeta. Corpos destituídos de sua subjetividade. Corpos vistos como carne. É contra o que inibe, o que objetifica, inferioriza e fere", comenta Geovana, ressaltando que as obras instigam a um exercício de se colocar no lugar do outro.

Com curadoria de Paula Lima e João Oliveira, “Corpos Cerceados” reúne trabalhos em pintura, fotoperformance e sketchbook. Conforme o texto curatorial, “Grunauer desafia os estereótipos de gênero, desconstrói normas sociais e convida à reflexão sobre poder, identidade e autonomia”.

A exposição “Corpos Cerceados” foi aprovada na Seleção Pública de Emergência Cultural - Lei Paulo Gustavo de Apoio às Áreas Culturais. Tem da produção da Margem Hub (@margem.hub), acessibilidade por Oficina da Audiodescrição (@oficinadaaudiodescricao) e realização da Prefeitura do Natal, Lei Paulo Gustavo, Ministério da Cultura e Governo Federal.

Sobre a artista
Geovana Grunauer é artista visual e arte-educadora formada em Artes Visuais pela UFRN. Antes de “Corpos Cerceados”, integrou as mostras coletivas "60 anos 60 olhares", no NAC/UFRN, em 2019, “Confluências”, no Museu Câmara Cascudo, em 2020. “Expo contemporânea 2021”, do Duas Estúdio. Em 2023 participou do Festival Internacional de Performance FUNDO, em Pelotas/RS, “Salão Pequenos Formatos”, na Galeria Margem, e "Sou definida pelo que não sei", na Pinacoteca Potiguar.

SERVIÇO
Exposição “Corpos Cerceados”
Galeria Margem Hub (Rua da Sheelita, 59, Lagoa Nova)
Vernissage: dia 22 de março, às 19h
Visitação: até 22 de abril
Entrada franca

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.