Mulherio das Letras faz leitura dos diários de Mércia Albuquerque
Natal, RN 26 de mai 2024

Mulherio das Letras faz leitura dos diários de Mércia Albuquerque

23 de março de 2024
3min
Mulherio das Letras faz leitura dos diários de Mércia Albuquerque

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Revisitar parte da história brasileira por meio da obra de Mércia Albuquerque, reconhecida como a maior advogada de presos políticos do Nordeste durante o período da Ditadura Civil Militar. É com este objetivo que o Clube de Leitura Mulheres Lendo Mulheres, organizado pelo Coletivo Feminista Literário Mulherio das Letras Zila Mamede, realiza uma leitura e discussão dos 'Diários 1973-1974 escritos por Mércia Albuquerque'. O encontro, aberto ao público, acontece neste sábado (23), no Mahalila Café e Livros, a partir das 16h30min.

Os diários, organizados pelo Centro de Direitos Humanos e Memória Popular, revelam os relatos e reflexões da advogada durante os anos de 1973 e 1974, período marcado pela intensificação da repressão política no país.

O evento acontece no contexto dos 60 anos do Golpe de 1964, que instalou a última e mais sangrenta ditadura militar no país. Relatório final da Comissão Nacional da Verdade reconhece 434 mortes e desaparecimentos e um número de mais de 20 mil pessoas torturadas.

A leitura contará com a presença da historiadora Jeane Fialho, pesquisadora sobre a Ditadura Civil Militar no Brasil. Para os organizadores, é fundamental lembrar essa "página infeliz da nossa história", especialmente para as novas gerações, a fim de evitar que episódios semelhantes se repitam no futuro.

Sobre Mércia Albuquerque

Mércia Albuquerque foi uma importante advogada de presos políticos, atuante no estado de Pernambuco. Formou-se na Faculdade de Direito do Recife, em 1961. Os dados ainda estão em fase de levantamento, mas estima-se que ela tenha defendido mais de 500 pessoas; sendo cerca de 10% do Rio Grande do Norte. Numa época em que ser advogado era difícil, encontrar um profissional disposto a defender preso político era ainda mais complicado. Imagine enfrentar todos esses desafios sendo uma mulher.

Foi em 1964, pelas ruas de Recife, quando coronéis do Exército arrastavam para a prisão o deputado constituinte de 1946, militante e dirigente comunista Gregório Bezerra, que a jovem advogada ao ver aquela cena, tomou uma decisão de vida e disse: “a partir de hoje, eu vou defender esse povo”.

Sobre o Clube de Leitura

O Mulheres Lendo Mulheres existe desde janeiro de 2020. É o primeiro clube de leitura criado dentro do Movimento Mulherio das Letras. Dedicado à leitura de obras escritas por mulheres, as reuniões são abertas ao público e, durante o ano de 2024, acontecem no Mahalila Café e Livros, sempre no ùltimo sábado de cada mês (exceto, quando há feriados), no horário das 16h30 às 18h30. Mais informações, através do e-mail: [email protected] .

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.