Servidores técnico-administrativos da UFRN aprovam greve
Natal, RN 24 de mai 2024

Servidores técnico-administrativos da UFRN aprovam greve

12 de março de 2024
2min
Servidores técnico-administrativos da UFRN aprovam greve
Foto: Ana Breatriz Sá

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Os servidores técnico-administrativos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), organizados pelo Sindicato Estadual dos Trabalhadores em Educação no Ensino Superior (Sintest), aprovaram na manhã desta segunda-feira (11) uma greve por tempo indeterminado. Logo após a assembleia, o coordenador-geral do Sintest, Edson Lima, assinou um ofício comunicando o reitor Daniel Diniz sobre a aprovação da greve.

A ação é resultado de uma série de mobilizações que vêm ocorrendo nos últimos meses, e que se intensificaram em 29 de fevereiro, quando o sindicato realizou uma assembleia em que deliberou pelo indicativo de greve.

A insatisfação da classe acontece em decorrência da proposta de reajuste 0 para os servidores em 2024. Em dezembro passado, o governo oficializou proposta de reajuste de 9% em duas parcelas, para os próximos dois anos, mas sendo a primeira em maio de 2025 e a segunda em maio de 2026.

A primeira reunião da Mesa Nacional de Negociação Permanente de 2024 foi realizada em 28 de fevereiro. Naquela ocasião, o secretário de Relações de Trabalho do Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, José Feijóo, informou que o governo está impedido de se posicionar quanto a eventual reajuste para o ano atual enquanto não forem consolidados os dados de arrecadação da União.

O Sintest ainda reclama dos reajustes nos auxílios que, segundo a entidade, não equiparam os valores com os servidores do Legislativo e Judiciário, excluindo os aposentados e pensionistas. O reajuste no auxílio-alimentação passou de R$ 658 para R$ 1 mil (51,9% a mais); a assistência à saúde complementar per capita média (“auxílio-saúde”) foi de R$ 144,38 para em torno de R$ 215; e a assistência pré-escolar (“auxílio-creche”) passou de R$ 321 para R$ 484,90.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.