MST faz mais duas ocupações no RN em Jornada de Luta
Natal, RN 21 de mai 2024

MST faz mais duas ocupações no RN em Jornada de Luta

16 de abril de 2024
0min
MST faz mais duas ocupações no RN em Jornada de Luta
Foto da ocupação em Santa Maria | Imagem: MST

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realizou mais duas ocupações no Rio Grande do Norte em meio à Jornada Nacional de Lutas em Defesa da Reforma Agrária. O acampamento José Alves da Silva foi feito na madrugada do último sábado (13) na fazenda Campos Novos, município de Santa Maria, com 80 famílias. Já nesta terça (16), os sem-terra montaram o acampamento Vicente Alves em Ceará-Mirim, com cerca de 300 famílias.

Tradicionalmente, abril é o mês em que o MST realiza mobilizações de caráter massivo, como marchas, atos, protestos, ações de formação, solidariedade e de enfrentamento à concentração de terras no Brasil. A Jornada deste ano entoa o lema “Ocupar, para o Brasil Alimentar!” e celebra os 40 anos de trajetória do Movimento.

Ao longo deste mês, estão previstas atividades em todas as grandes regiões do país, nos territórios onde o Movimento Sem Terra está mobilizado, e tendo como principais dias de luta o período entre 15 a 19 de abril.

A Jornada também lembra do dia 17 de abril, data em que há 28 anos ocorreu o massacre de Eldorado do Carajás, no Pará, quando 21 trabalhadores rurais foram mortos pela Polícia Militar, motivados por fazendeiros, enquanto protestavam pela reforma agrária.

De acordo com Morgana Souza, da direção estadual do movimento, a ocupação em Santa Maria — que começou com as 80 famílias — já está aumentando. 

“É é numa fazenda que já está passando por vistoria do Incra [Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária], então o Incra já está vendo qual a forma de desapropriar essa terra que é uma fazenda improdutiva, uma fazenda ociosa que está parada há muitos anos”, aponta.

O acampamento foi batizado de José Alves da Silva, em homenagem a um dos militantes que morreram no massacre de Eldorado dos Carajás, e reivindica as terras da fazenda que possui cerca de 2 mil hectares e estava improdutiva há anos, de acordo com o grupo.

Ceará-Mirim

Já na madrugada desta terça (16), em Ceará-Mirim, 300 famílias montaram novo acampamento na região do complexo açucareiro do município, uma área onde já existem outras ocupações dos sem-terra.

“Todo ano tem ocupação nessa área, e é uma área bastante importante. É uma área que já está na prateleira de desapropriação da reforma agrária há muito tempo. Nós já temos acampamentos nessa área como o acampamento Dorothy, que já tem 20 anos. Então é uma das áreas mais importantes, históricas, na luta pela terra aqui no Rio Grande do Norte”, aponta Souza.

O nome do acampamento, Vicente Alves, homenageia um integrante do movimento que morreu poucos meses atrás.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.