Cuba recebe 22 mil máscaras doadas pela China para auxiliar no combate ao coronavírus
Natal, RN 16 de jun 2024

Cuba recebe 22 mil máscaras doadas pela China para auxiliar no combate ao coronavírus

7 de abril de 2020
Cuba recebe 22 mil máscaras doadas pela China para auxiliar no combate ao coronavírus

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Por Brasil de Fato 

Uma doação enviada pelo governo da China para ajudar no combate à epidemia do novo coronavírus chegou a Cuba nessa segunda (06). A informação foi confirmada pelo Ministro de Relações Exteriores do país caribenho, Bruno Rodríguez Parrilla.

O primeiro lote da doação de suprimentos está composto por 12 mil máscaras de proteção, mil vestimentas descartáveis, 2 mil pares de luvas cirúrgicas e 2 mil pares de protetores de sapatos, disponibilizados pelo governo chinês, e 10 mil vestimentas descartáveis e 10 mil máscaras enviadas pela empresa chinesa Yutong, fabricante de ônibus.

A entrega oficial dos suprimentos foi realizada na sede do Ministério de Saúde Pública de Cuba, e contou com a presença de Chen Xi, Embaixador da China no país, da vice-ministra de Comércio Exterior de Cuba, Ana Teresita González Fraga e de Luis Fernando Navarro, vice-ministro de Saúde Pública.

Na ocasião, o embaixador chinês destacou que a doação expressa a solidariedade entre os dois povos irmãos, que persistirá “apesar dos tempos difíceis”, como informou o jornal cubano Granma. Chen Xi também anunciou que, nos próximos dias, chegarão outros lotes de suprimentos enviados pela China.

“Nosso governo e nosso povo agradecem. É uma demonstração da inextricável amizade que nos une. Em tempos de pandemia, a solidariedade e a cooperação salvam vida”, afirmou o chanceler cubano através de sua conta no Twitter.

A chegada dos suprimentos em Cuba também foi comentada pelo embaixador de Cuba na China, Carlos Miguel Pereira Hernández, em suas redes sociais. Ele criticou a postura dos Estados Unidos que, a partir do bloqueio econômico imposto à ilha, impediu que um navio com doações enviadas pelo empresário chinês Jack Ma, fundador da empresa de eletrônicos Alibaba, aportasse em Cuba.

A empresa contratada para transportar os suprimentos, que incluíam máscaras, kits de diagnóstico mais rápidos e respiradores, desistiu de entregar a encomenda sob o argumento de que as regras do bloqueio imposto pelos EUA impediam a ação.

O governo chinês enviou suprimentos e equipes médicas especializadas no combate do novo coronavírus a diversos países, entre eles, Irã, Coreia do Sul, Paquistão, Japão e Itália, além de doar 20 milhões de dólares à Organização Mundial da Saúde. Por sua vez, Cuba, conhecida pela sua tradição de solidariedade, enviou brigadas médicas à Itália, Venezuela e Nicarágua, para enfrentar a pandemia mundial.

Em Cuba, há 396 casos confirmados do novo coronavírus, com acompanhamento médico de todos os casos, e 11 mortes registradas. Segundo o último boletim divulgado pelo Ministério de Saúde Pública, 340 pacientes infectados têm um quadro clínico estável e 27 estão curados.

Contrapartida

A aliança entre China e Cuba em meio crise gerada pelo novo coronavírus também se expressa no país oriental. Desde o final de janeiro, a China produz um medicamento antiviral de origem cubana, o Interferón alfa 2B (IFNrec).

O produto biotecnológico de Cuba é um dos medicamentos utilizados no tratamento dos sintomas da covid-19 e está sendo produzido em território em chinês pela empresa Chang Heber, localizada na província de Jilin (região nordeste do país), uma iniciativa de intercâmbio biotecnológico entre os dois países.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.