“O acesso à planta precisa estar acima dos interesses de mercado”, diz ativista que abre Fórum sobre cannabis nesta segunda
Natal, RN 21 de jun 2024

“O acesso à planta precisa estar acima dos interesses de mercado”, diz ativista que abre Fórum sobre cannabis nesta segunda

7 de junho de 2021
“O acesso à planta precisa estar acima dos interesses de mercado”, diz ativista que abre Fórum sobre cannabis nesta segunda

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

 “Manter a planta proibida e inacessível às pessoas é uma opção de regulação que não satisfará às necessidades do nosso povo e criará uma reserva de mercado para a grande indústria da cannabis, em detrimento da inclusão e reparação social, tão necessárias à nossa população”

O destaque é da servidora pública Sheyla Geriz, que fundou em 2015 a Liga Canábica, uma associação de pacientes, famílias e profissionais que acreditam no uso da Cannabis medicinal. É Sheyla quem abre, nesta segunda-feira (7), a 6ª edição do Fórum Delta 9, que reúne pesquisadores, ativistas e pacientes e consumidores da cannabis no Brasil. O evento segue até quarta-feira (9), de foroma gratuita e virtual, sempre a partir das 18h, pelos canais do Instagram e Youtube.

Sheyla fundou a associação Liga Canábica em meio ao tratamento do filho, diagnosticado com quadro de epilepsia. E precisou fazer uso da planta durante um tratamento de artrite reumatoide. Na palestra de abertura do Delta 9, a ativista vai falar sobre o “Associativismo no futuro da Cannabis”.

- A luta segue no sentido de promover a real devolução dessa planta às pessoas, como era a realidade antes da proibição. Cannabis é mato e não pode ser direito reservado a alguns. O acesso à planta precisa estar acima dos interesses do mercado. É difícil, mas possível”, diz.

Além do “Associativismo no Futuro ”, com Sheyla Geriz, o primeiro dia do Fórum Delta 9 contará com a participação do pesquisador e neurocientista do Instituto do Cérebro da UFRN Dráulio Araújo, que fala sobre os efeitos da Ayahuasca no combate à depressão. Ele é um dos autores de um estudo que mostra a melhora na saúde de pacientes depressivos após o consumo do chá.

A abertura também conta com palestra da médica Mariana Muniz sobre “Trauma, pandemia e cannabis” e um debate sobre “Regulamentação da cannabis,”, que será conduzido pelas advogadas Marcela Sanchez e Gabriella Arima.

Durante três dias, o Delta 9 vai debater o uso medicinal da cannabis a partir de vários eixos. As inscrições segue abertas e podem ser realizadas aqui.

“Manter a planta proibida e inacessível às pessoas é uma opção de regulação que não satisfará às necessidades do nosso povo e criará uma reserva de mercado para a grande indústria da cannabis, em detrimento da inclusão e reparação social, tão necessárias à nossa população. Geriz.

Programação

O neurocientista e vice-diretor do Instituto do Cérebro da UFRN, Sidarta Ribeiro, trará em sua palestra os aspectos sociais e históricos da cannabis ao longo dos séculos e sobretudo no Brasil. O consultor internacional que atuou na regulamentação da erva no Uruguai, Gástor  Lepera, contará sobre os caminhos percorridos para essa conquista no país Latino-americano, e perspectivas futuras da economia do Brasil com uma regulamentação do cânhamo.

Pacientes idosos com doenças como Alzheimer, Parkinson e câncer tendem a perder funções motoras e psicológicas em decorrência das doenças. Para auxiliá-los em tratamentos que utilizam cannabis, o médico e professor pernambucano Helio Mororó falará sobre o tema com evidências científicas recentes.

O evento também terá palestras da chef de cozinha Débora Sá (Cannabis na cozinha); o neurocientista Dráulio Araújo (Ahayuska e depressão); o médico Mikhael Marques (Fitoterapia Canábica), o médico Pedro Melo (Cannabis no esporte); o médico veterinário Tarcísio Barreto (cannabis na epilepsia veterinária) e as advogadas Gabriela Arima e Marcela Sanches (Regulamentação da Cannabis).

Pandemia: mais de 500 novos pacientes no RN buscam tratamento com cannabis

Durante a pandemia do covid-19, a Associação Reconstruir Cannabis Medicinal, teve um aumento de mais de 500 pacientes do RN em busca do uso terapêutico da cannabis, principalmente para tratar patologias como ansiedade, depressão, insônia  entre outras. Com o aumento da procura durante a pandemia, atualmente 700 pacientes recebem orientação ao acesso da cannabis da ONG potiguar, Reconstruir Cannabis.

“Com a atual regulamentação da cannabis no Brasil, fica inviável o acesso de remédios à base de cannabis, já que ainda é proibido o cultivo da planta, inclusive para fins medicinais e de pesquisa, fazendo com que o valor do remédio  fique por volta de R$ 2.500 nas farmácias brasileiras. Todo o insumo vem de países que podem cultivar a cannabis, fazendo assim que toda a economia vá para outros países ao invés de gerar novos empregos e acesso de fato no nosso país. Onde essa realidade pode mudar caso o PL399 seja aprovado, um projeto de lei que visa que associações e empresas possam plantar a cannabis para fornecer esse insumo”, explicou o coordenador do Fórum, Felipe Farias.

O Fórum

O Fórum Delta 9 é voltado para o público em geral, como médicos e advogados que buscam entender o uso da cannabis medicinal, suas evidências científicas e as leis que amparam a prática, profissionais da saúde que querem entender a Medicina Canabinoide, suas aplicações e tratamentos benéficos. Também podem participar pacientes, familiares e amigos que sofrem com patologias e desejam conhecer meios seguros e eficientes de tratamento. Além do vasto conteúdo, quem assistir às palestras terá direito a receber um certificado.

Serviço:

VI Fórum Delta 9

Quando: 7, 8 e 9 de junho

Onde: transmissão online via inscrição

Como se inscrever: https://delta9brasil.com/forum/

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.