Fátima Bezerra anuncia construção de estátua em homenagem ao surfista Ítalo Ferreira
Natal, RN 18 de mai 2024

Fátima Bezerra anuncia construção de estátua em homenagem ao surfista Ítalo Ferreira

3 de agosto de 2021
Fátima Bezerra anuncia construção de estátua em homenagem ao surfista Ítalo Ferreira

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A governadora Fátima Bezerra (PT/RN) anunciou no Twitter que o Governo do Estado vai construir uma estátua em homanagem ao sufista Ítalo Ferreira, que ganhou a primeira medalha de ouro da modalidade nos jogos olímpicos de Tóquio. A obra será implantada em Baía Formosa, cidade do atleta, e será de autoria do artista Guaraci Gabriel.

A Governadora disse que na próxima terça-feira (10) vai visitar Baía Formosa e conhecer o local onde a escultura será implantada.

Veja a postagem da Governadora:

📞 Liguei agora pro nosso artista Guaraci Gabriel pra convocá-lo a fazer uma escultura em homenagem ao primeiro campeão olímpico de surfe do mundo @italoferreira lá em Baía Formosa. Terça-feira (10) iremos lá visitar o lugar da escultura e comer um pirão lá em Luizinho. 🏄🏼‍♂️ pic.twitter.com/OWDDwRpCUM

— Fátima Bezerra (@fatimabezerra) August 3, 2021

Ítalo é primeiro medalhista da história do surfe em olimpíadas
Na madrugada do dia 27 de julho, o surfista potiguar Ítalo Ferreira fez história na modalidade, estreante nos Jogos Olímpicos. Ele conquistou o lugar mais alto do pódio ao vencer o japonês Kanoa Igarashi na final. Ítalo Ferreira fechou a campanha nas Olimpíadas com clara superioridade: 15,14 a 6,60.

Natural de Baía Formosa, distante 98,2 quilômetros de Natal, Ítalo se apaixonou pelo surfe graças à influência dos primos e dos amigos. Entretanto, sem estrutura para praticar o esporte, dependia da prancha emprestada dos primos para poder praticar. Diversas vezes, ele ia para o mar com tampas de caixas de isopor onde o pai, o comerciante Luiz Ferreira de Souza, armazenava peixes para revender.

“Ele ficava de dia no mar e a noite na escola. Mas sempre preferiu o surfe e nós temos muito orgulho de tudo o que ele conquistou”, disse o pai de Ítalo, conhecido na região pelo apelido de Luizinho, em entrevista à Folha de S. Paulo em 2019, quando o surfista foi campeão mundial.

No início dos anos 2000, Luiz Pinga, então diretor de marketing de uma das principais marcas de surfe, foi à Baía Formosa para avaliar um surfista que haviam indicado para ele como promessa da geração. Na cidade, acabou vendo Ítalo surfar, ainda moleque, e se surpreendeu. A partir daí, a carreira do potiguar não parou mais de crescer.

Ítalo logo venceu duas etapas do Mundial Júnior em 2011, foi vice-campeão da categoria, ganhou o Campeonato Brasileiro e em 2014, enfim, se classificou pra integrar o WCT (World Championship Tour), a elite do circuito. Logo na primeira temporada, em 2015, foi eleito novato do ano com um impressionante sétimo lugar e um estilo de surfe mais agressivo, com aéreos que surpreenderam o mundo inteiro.

Nos anos seguintes, em 2016 e 2017, Ítalo sofreu com lesões e ficou de fora de parte da temporada do surfe. Mas, em 2018, o potiguar conseguiu deixar para trás a maré de azar e venceu três etapas do mundial, o que o colocou no quarto lugar do ranking. A expectativa para ganhar o campeonato mundial cresceu, e veio no circuito de Pipe Masters, no Havaí, em 2019.

Antes mesmo do título, o potiguar já era influência para os jovens de Baía Formosa. No retorno à cidade após ser campeão, Ítalo foi recebido por centenas de moradores – entre eles, muitas crianças. “Eu penso que um dia posso ser como ele. Também quero conquistar o mundo”, disse também à Folha uma das surfistas da nova geração da cidade, Maria Clara, no dia em que o campeão foi recebido na cidade.

SAIBA MAIS

Potiguar Ítalo Ferreira ganha a primeira medalha de ouro olímpica do surfe: “Queria que minha avó estivesse viva para ver o que eu me tornei”

Buscas por Baía Formosa na internet disparam com medalha de ouro de Ítalo Ferreira no surfe

Do isopor ao ouro. Surfista Ítalo Ferreira pode trazer o sonhado ouro olímpico para o RN

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.