TRABALHO

Sindsaúde denuncia superlotação nas UPAS em Natal um dia após prefeitura suspender decreto de calamidade pública

O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Saúde do Rio Grande do Norte divulgou imagens de superlotação das Unidades de Pronto Atendimento em Pajuçara, Cidade da Esperança e Cidade Satélite, em Natal. As denúncias acontecem um dia após a prefeitura de Natal divulgar a suspensão do decreto do estado de calamidade na cidade:

– No último domingo (27), em publicação no Diário Oficial do Município (DOM), a prefeitura de Natal pôs fim ao estado de calamidade pública na capital potiguar pela Covid-19. Usou-se como argumento a “diminuição no número de atendimentos” da infecção nas unidades de saúde do município. A realidade, porém, é outra. O Sindsaúde/RN tem recebido relatos de vários servidores denunciando a superlotação nas UPAS da cidade. Nesta segunda-feira (28), um dia após a publicação do decreto, recebemos fotos e vídeos das unidades de Pajuçara, Cidade da Esperança e Satélite completamente lotadas, maior parte dos pacientes apresentam sintomas gripais que podem ser em decorrência do novo surto de Influenza (h3n2)”, diz o Sindicato.

Para piorar a situação, na UPA Satélite, por exemplo, os profissionais de enfermagem estão adoecendo e é considerável o número de  baixas no serviço tanto pelas infecções quanto pela própria sobrecarga de trabalho que prejudica à saúde.

“Um dos meus piores plantões nesses quase três anos de UPA. Lotação total. Muitos sintomas gripais, me senti um lixo o dia inteiro, parecia que eu tinha de ser um robô com capacidade de estar em vários lugares ao mesmo tempo para dar conta das demandas. Não consegui nem beber água.” desabafa uma servidora da UPA Cidade da Esperança, sob a condição de anonimato.

Além do argumento apresentado pela Prefeitura para negligenciar o caos que a Saúde enfrenta hoje, há duas semanas aconteceu em Natal a 30ª edição do Carnatal, maior carnaval fora de época do Brasil.

– Como se não bastasse, Álvaro Dias (PSDB), ainda tortura os trabalhadores do Munícipio que estão na linha de frente desse novo cenário de superlotação. São comuns as denúncias sobre os cortes de gratificações que obrigam os servidores a lidarem com a sobrecarga de trabalho ainda com o salário defasado. Isso é uma vergonha. Desvalorizados, doentes e sobrecarregados. É assim que se encontram os trabalhadores do Município de Natal. Convidamos o senhor prefeito a estar presente em uma dessas unidades citadas nesta matéria para ver com seus próprios olhos se houve ou não a tão falada “diminuição no número de atendimentos”, reforça a entidade.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo