CIDADANIA

Um dia depois de negar fechamento, Prefeitura de Natal confirma encerramento da pediatria na UPA Pajuçara

UPA Esperança I Foto: SMS

Menos de 24 horas depois de ter negado que o serviço da pediatria da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do bairro Pajuçara seria fechado, a Prefeitura de Natal, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), anunciou uma “redefinição de fluxo da urgência pediátrica”, nome dado ao encerramento das atividades do setor pediátrico no local.

A prefeitura da capital alega dificuldade em encontrar profissionais para completar as escalas, entre outros motivos, por causa das agressões sofridas pelos profissionais durante os atendimentos, conforme justificativa publicada em seu próprio site.

O novo fluxo tem a finalidade de otimizar as escalas diante da dificuldade de encontrar profissionais com tal especialidade em razão de diversos fatores, entre eles agressões sofridas durante os atendimentos clínicos, conforme relatado pela empresa contratada em reunião com a SMS Natal”.

No entanto, segundo o Sindsaúde RN (Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Saúde do Rio Grande do Norte), a realidade é que o prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), está pagando os médicos da Cooperativa que prestam atendimento ao município com cerca de cinco meses de atraso e, por isso, tem encontrado dificuldades em completar a escala em outras unidades.

A escala na UPA Pajuçara está completa, mas ela [a prefeitura de Natal] está redirecionando os médicos de lá para completar a escala de outras unidades porque está pagando esses profissionais com quatro… cinco meses de atraso, e muitos profissionais não têm interesse”, relata Marcelo Antônio, membro da direção do Sindsaúde RN.

A Agência Saiba Mais havia antecipado a possibilidade de fechamento do setor de pediatria da UPA Pajuçara em matéria publicada nesta quinta (20), quando funcionários denunciaram um aviso verbal de representantes da Prefeitura de Natal de que esse setor da unidade seria fechado. Por causa disso, mães, moradoras do Pajuçara, além de usuários da UPA marcaram uma manifestação em frente à unidade nesta sexta (21), a partir das 16h.

O que a gente vê, tanto como morador da Zona Norte, quanto como diretor do sindicato e profissional, é que a Prefeitura de Natal trata a Zona Norte, em especial o bairro de Pajuçara e essas regiões que são mais periféricas, com um certo desdém. Se você pesquisar, até mesmo no google, vai ver que a nossa unidade é considerada uma das melhores. Não tem justificativa pra isso. Estão retirando os médicos para completar a escala em outras unidades por interesses maiores. A Zona Norte é uma área muito grande e só vai ter uma pediatria! Ele [Álvaro Dias] fala como se a Maternidade Leide Morais fosse atender paciente pediátrico, mas não vai, ela não atende nem paciente neonatal. A pediatria da UPA Pajuçara ficava responsável, inclusive, por pacientes neo até com 28 dias e crianças com até 14 anos. Será uma perda muito pesada”, lamenta Marcelo Antônio.

Com o fechamento da pediatria da UPA Pajuçara, a preocupação passa a ser com a superlotação da UPA Potengi, que já apresenta uma alta demanda.

Eles tentaram fazer isso na surdina, mas por causa da pressão dos populares, resolveram soltar uma nota. Isso não é uma coisa que foi conversada, não houve estudo. Nossa UPA tem uma demanda muito alta na pediatria e vai superlotar a Potengi, que já tem uma demanda muito elevada”, alerta o diretor do Sindsaúde RN.

A mudança anunciada pela prefeitura de Natal passa a valer a partir do dia 1º de novembro. Na Zona Oeste, o atendimento passará a ser na UPA da Cidade da Esperança; na Zona Sul, na UPA da Cidade Satélite; Zona Norte, na UPA Potengi; e Zona Leste, no Pronto Socorro Infantil de Brasília Teimosa e na Unidade Mista de Mãe Luiza.

Saiba +

Funcionários denunciam fechamento de pediatria da UPA Pajuçara, mas Secretaria de Saúde de Natal nega

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo