TRABALHO

Guararapes deixa CE e centraliza produção no RN; Governo aposta em política de incentivos fiscais

A Guararapes, empresa de confecções que também é dona das lojas Riachuelo e do Shopping Midway Mall, anunciou o fechamento de uma de suas fábricas em Fortaleza (CE) e demissão de cerca de dois mil funcionários nesta terça (10).

Os administradores do grupo empresarial ainda não confirmaram, mas com as demissões no Ceará, há uma perspectiva de 200 novas contratações no Rio Grande do Norte.

O Secretário de Planejamento e Finanças do Rio Grande do Norte comentou em suas redes sociais que a decisão tem relação com as medidas adotadas pela atual gestão da governadora Fátima Bezerra (PT), que tem garantido competitividade do estado com os vizinhos da região.

Nas contas do Governo do Estado, o Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Econômico do RN (Proedi) garantiu a manutenção de, pelo menos, 113 mil empregos diretos e indiretos entre os anos de 2019 e 2022 no RN. Em quatro anos, foram feitas 232 concessões do Proedi, com 110 novas empresas cadastradas.

O Proedi e, posteriormente, a inclusão da indústria têxtil no segmento relevante, com certeza foram fundamentais nessa escolha”, acredita o secretário de Tributação, Carlos Eduardo Xavier.

Desde o início da atual gestão do Governo do Estado, o número de oficinas de costura cadastradas, que fornecem serviço terceirizado para a indústria do setor, saltou de 53 para 116 nos últimos quatro anos.

Nós não só estamos atraindo indústrias tradicionais, como as daqui estão crescendo. Ainda em 2019, começamos um programa de revitalização do nosso Centro Industrial Avançado de Macaíba. Havia terrenos entregues à indústria há cinco, dez, quinze anos em que ‘nem bebia, nem desocupava o copo’. Então nós retomamos os terrenos, como manda a lei, e já contabilizamos 26 novas indústrias naquela região que geraram, pelo menos, quatro mil novos empregos. Elas vão pra lá não apenas pelo terreno, mas também pelo Proedi”, avalia o titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Jaime Calado, que acredita numa maior atração de empresas na competição com estados vizinhos para 2023:

“É esperado um aumento de demanda nesse setor porque nossos incentivos são melhores que os de qualquer outro estado, a tendência é as empresas daqui investirem mais e vir mais empresas de fora. Aquela política que fez o RN perder empregos está sendo revertida e não é só na Guararapes. São várias outras empresas. É só andar pelo estado para ver quantos atacarejos surgiram nesses quatro anos; uma verdadeira indústria de carnes começa a se formar, entre vários outros setores que estão se fortalecendo. Tudo isso se deve ao Proedi”.

De acordo com a Guararapes, a empresa possui, atualmente, cerca de 1.600 funcionários diretos e indiretos, já que além da produção própria, ela também contrata serviço de pequenas indústrias dentro do Programa Pró-Sertão, criado para desenvolver a interiorização da indústria têxtil. De acordo com o Governo do Estado, dois mil costureiros e costureiras estão sendo capacitados, em todas as regiões, como parte do Programa.

A ação tem o apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e do Instituto Federal do RN (IFRN).

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo