DEMOCRACIA

Mossoroense que organizava caravana para Brasília diz que respeita a democracia e que é “cidadão de bem”

Após exposição, advogado que representa o mossoroense Heverton Cavalcanti Rodrigues, um dos articuladores da caravana RN-Brasília, enviou nota à Agência Saiba Mais nesta quinta-feira (12) informando que a viagem não foi realizada pelo grupo e que respeita o Estado Democrático de Direito.

SAIBA MAIS: Mossoroense organizou caravana RN-Brasília para atos terroristas

Heverton foi descoberto a partir de prints vazados de um grupo criado para reunir bolsonaristas interessados em participar da invasão à Praça dos Três Poderes, na capital federal, no domingo (8).

Confira nota na íntegra:

“Vem o Sr. Heverton esclarecer as informações prestadas, informando que é um cidadão que respeita o estado democrático de direito, assim como, sempre prezou pela paz e respeito a constituição e normas legais. Esclarece ainda que sequer houve contratação de ônibus, que não houve nenhuma viagem para Brasília, estando com sua família todo o tempo em Mossoró, que existia um grupo de pessoas interessadas as ir a Brasília para manifestação, porém, por questões justamente financeiras, e visto a situação que estava acontecendo em Brasília, não houve interesse em participar, face a não coadunar com o vandalismo praticado, e em momento algum era no intuito de causar prejuízos a pátria, ou promover atos terroristas. Deixa claro ainda que é cidadão de bem e preza pela paz e família.”

Heverton é técnico em segurança do trabalho na NorSkan Offshore, empresa brasileira pertencente ao grupo norueguês DOF. Atua nas áreas de óleo e gás e energia em atividades de perfuração e produção. No currículo, diz que já morou na Venezuela e no Peru.

Imagens do grupo mostram que ele passava lista com nome de interessados e arrecadava dinheiro por meio de pix. Os prints também contrariam a nota de Heverton, que alega apreço pela paz.

“As emoções já chegaram e não tem mais blá blá blá, estamos em guerra. Sem caos não vai ter FFAA [sigla inexistente, mas que bolsonaristas atribuem a Forças Armadas Brasileiras]”, escreveu às 16h, durante os ataques.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo