Moradores de Pajuçara e Potengi, bairros da zona Norte de Natal, denunciam descasos e negligências nas UPAs da região
Natal, RN 26 de fev 2024

Moradores de Pajuçara e Potengi, bairros da zona Norte de Natal, denunciam descasos e negligências nas UPAs da região

25 de setembro de 2023
5min
Moradores de Pajuçara e Potengi, bairros da zona Norte de Natal, denunciam descasos e negligências nas UPAs da região

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Os moradores da zona Norte de Natal estão sofrendo com descasos nas Unidades de Pronto Atendimento. As UPAs do Potengi e Pajuçara, duas das principais unidades de saúde que atendem a região, estão precarizadas, sem equipamentos e superlotadas.

Dia 21 de setembro, funcionários da UPA Pajuçara denunciaram, através das redes sociais, imagens de pacientes e acompanhantes dormindo no chão do hospital por falta de quartos e leitos disponíveis. Nas imagens, os servidores mostraram pacientes improvisando macas, pessoas doentes aguardando atendimento em cadeiras e até um paciente com infarto agudo do miocárdio, que tinha um acesso venoso, mas sem lugar para ficar e receber a assistência. Não só isso, os profissionais de enfermagem estavam sobrecarregados com pacientes com quadros psiquiátricos misturados com outros diagnósticos, o que causava uma superlotação no serviço. 

Esses problemas não são exclusivos do bairro Pajuçara. De acordo com moradores ouvidos pela reportagem, a UPA do Potengi também está sucateada. Anderson Geová Maia, professor de Geografia e usuário do sistema, fez uma denúncia recentemente, também através de suas redes sociais, sobre um problema que enfrentou na unidade.

O professor precisou levar seu irmão de 12 anos, que sofreu um acidente na escola, para receber atendimento no hospital. Acontece que, depois de dar entrada no pronto atendimento e ser atendido pelo médico, foi verificado que não existia material para realizar uma sutura e pontear o corte na cabeça da criança que estava com um forte sangramento. 

“A gente ficou esperando pra ver se tinha material. E no que esse enfermeiro foi lá ver, o outro enfermeiro disse: ‘Moço, eu acho que é melhor você não aguardar. Você já deve ir direto pra UPA do Pajuçara, porque a gente tá mandando o pessoal pra lá e com certeza lá tem esse material’. Foi quando o enfermeiro chegou e disse que lá não tinha material pra nada, nem para fazer a sutura, nada”. 

[caption id="attachment_82878" align="alignnone" width="1055"] Anderson mora no Conjunto Soledade e estava dando aula quando o irmão bateu a cabeça | foto: reprodução[/caption]

Quando o geógrafo chegou na outra UPA, percebeu que o pronto-atendimento também estava lotado. Isso porque os pacientes do Potengi estavam sendo transferidos para lá, e foi quando, finalmente, o jovem conseguiu ser atendido. 

“Lá já estava muito cheio porque o pessoal que precisava fazer curativo não era atendido. O médico atendia no Potengi mas não tinha como proceder. Depois a gente conseguiu fazer a limpeza e a sutura dele, mas foi uma luta. Saímos de casa às 18 horas e chegamos só de 02h da manhã. Veja bem, uma criança com um corte na cabeça. Isso é completamente inadmissível do ponto de vista do SUS, que é para ser universal e acessível. Ainda mais uma unidade de pronto atendimento 24 horas e de média complexidade”, pontuou. 

O professor ainda relata que denunciou situações que já viveu na UPAs de Natal para o Ministério Público, que segundo ele, é negligente nessas situações.

“Eu diria que há uma negligência por parte da prefeitura e do Ministério Público em fiscalizar e tomar uma medida mais enérgica nessas situações”, finaliza.

Secretaria Municipal de Saúde afirmou que pacientes deitaram no chão porque quiseram

Procurada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) afirmou que todos os pacientes em atendimentos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) são alocados em leitos individuais e que os que deitaram no chão o fizeram por escolha própria:  

“A SMS esclarece que as imagens divulgadas da UPA de Pajuçara mostram alguns pacientes que durante o período da noite acomodaram-se no chão da unidade por opção própria, apesar de contarem com leitos disponíveis para o seu acomodamento, como mostra uma das imagens”.

A secretaria também informou que todos os pacientes foram atendidos conforme as suas necessidades e se encontram acomodados adequadamente. Questionada sobre a falta de materiais necessários para curativos e suturas na UPA Potengi, a pasta informou que essas afirmações não procediam. 

Ala pediátrica da UPA Pajuçara fechou em novembro de 2022 e só voltou em janeiro

A agência Saiba Mais antecipou o fechamento da ala pediátrica da Upa do Pajuçara em novembro de 2022. Na época, o secretário de Saúde de Natal, George Antunes, alegou que a suspensão havia sido causada por furos na escala, por falta de profissionais especializados para cobrir o atendimento 24 horas.

 No entanto, o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Saúde do Rio Grande do Norte (SindSaúde) afirmou que o prefeito de Natal, Álvaro Dias (Republicanos), estava pagando os médicos da Cooperativa que prestavam atendimento ao município com mais ou menos de cinco meses de atraso e, por isso, tinha dificuldades em completar a escala em outras unidades. 

Em janeiro de 2023 os atendimentos pediátricos na Upa do Pajuçara foram retomados, após protestos da população e Sindsaúde, e o tempo em que a ala permaneceu fechada foi suficiente para superlotar a UPA Potengi.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.