Obra na Ponte de Igapó vai custar R$ 20 milhões e durar um ano e meio
Natal, RN 18 de jun 2024

Obra na Ponte de Igapó vai custar R$ 20 milhões e durar um ano e meio

14 de setembro de 2023
3min
Obra na Ponte de Igapó vai custar R$ 20 milhões e durar um ano e meio

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A obra na ponte do Igapó vai custar R$ 20 milhões aos cofres públicos e tem previsão de 18 meses para ser concluída. Recentemente, o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) anunciou que o serviço na estrutura duraria um ano, entretanto, o prazo aumentou para um ano e meio, sendo 12 meses do lado direito e 6 meses no outro lado. Durante o período de interdição, o lado esquerdo vai operar nos dois sentidos.

O DNIT  justificou que a interdição em dois momentos foi definida com base em estudos de técnicos do órgão e levou em consideração a segurança dos usuários e trabalhadores.

Em nota, O Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) disse: 

Importante esclarecer que as ações para recuperar a Ponte de Igapó estão em andamento desde o dia 1 de setembro de 2021. Na data foi homologada a licitação para contratação dos projetos básico e executivo desta reabilitação. Na ocasião, foram obedecidos todos os trâmites administrativos e legais. De lá para cá, técnicos da autarquia desenvolveram na primeira etapa os projetos de engenharia necessários para dar início à reabilitação completa da travessia.”

A obra integra o Programa de Manutenção e Reabilitação de Estruturas (PROARTE), responsável pelo gerenciamento dos serviços de manutenção e reabilitação em Obras de Artes Especiais (OAEs) como pontes, túneis, viadutos e passarelas que compõem a malha rodoviária federal do país.

O órgão informou ainda que a reabilitação integra a PROARTE e por isso já possui licença ambiental regularizada pelo Programa de Rodovias Federais Ambientalmente Sustentáveis (PROFAS), emitida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Veja os pontos que farão parte da obra

O DNIT destacou alguns pontos que farão parte da obra, como restaurações de estacas e pilares, demolição de elementos deteriorados, substituições de drenos e juntas estruturais, recuperações das barreiras, dos refúgios da ponte ferroviária, dos passeios dos pedestres e guarda-corpos e também a renovação de revestimento asfáltico.

Além de tudo, o órgão informou que é possível interditar os dois sentidos da ponte, se for necessário, e que os usuários serão devidamente informados caso isso aconteça.

Interdição

A interdição do lado direito da ponte começou na terça-feira (12), no sentido Zona Norte/Centro, após a implantação da sinalização necessária para alertar sobre as mudanças do fluxo. Além disso, as equipes do DNIT estão atuando na execução das escavações e inspeções para verificar se há redes de concessionárias de serviços públicos e na demolição das lajes do passeio público. 

Como já esperado, a interdição causou trânsito lento e transtornos no local. Na manhã da quarta-feira (13), por exemplo, um acidente com um motociclista aconteceu na Av. Felizardo Moura, próximo a Ponte Velha. Assim, o trânsito lento no local preocupou a população.

De acordo com a nota:

“A necessidade de restauração das pontes ocorre em função do desgaste natural em decorrência do tempo, bem como dos danos causados por eventos extremos, e sobrecarga de tráfego, dentre outros fatores. Sendo assim, a intervenção permitirá que as referidas estruturas tenham um desempenho próximo a suas condições iniciais de operação.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.