Estudantes da Ufersa deixam conflito em Israel e chegam ao RN: “experiência intensa”
Natal, RN 13 de abr 2024

Estudantes da Ufersa deixam conflito em Israel e chegam ao RN: “experiência intensa”

16 de outubro de 2023
3min
Estudantes da Ufersa deixam conflito em Israel e chegam ao RN: “experiência intensa”

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Os dois estudantes da Ufersa que estavam em Israel para um intercâmbio chegaram a Mossoró na noite do sábado (14). Francisco das Chagas Barbalho Neto e Roosevelt de Araújo Sales Júnior integraram o grupo de 207 passageiros do quarto voo da operação de repatriação de cidadãos brasileiros que se encontravam na região de conflito no Oriente Médio.

A aeronave deixou o Aeroporto de Ben-Gurion, em Tel Aviv, às 18h40 (horário local em Israel) de sexta-feira (13) e pousou no Rio de Janeiro nas primeiras horas da madrugada de sábado. 

Do Rio, a dupla embarcou por volta das 10h (horário de Brasília) com destino a Fortaleza/CE, onde foram recepcionados pela reitora da Ufersa, Ludimilla de Oliveira, e partiram para Mossoró, chegando na Ufersa às 18h. Na universidade, estavam sendo esperados por seus familiares.

Segundo a Ufersa, a instituição manteve uma assistência integral aos dois estudantes e aos familiares, atuando nos trâmites junto ao Ministério das Relações Exteriores (MRE), à Embaixada, e ainda assegurou o traslado dos trechos Rio de Janeiro – Fortaleza – Mossoró.

Quem são

Chagas é estudante do 8º período do Curso de Biotecnologia e Roosevelt cursa o segundo ano do doutorado em Ciência Animal. Ambos foram selecionados para um estágio-intercâmbio de 45 dias na empresa israelense Colors Farms. 

“Eu considero que essa foi uma experiência muito exitosa e intensa. Foi tudo muito rápido, mas valeu a pena, porque as portas ficaram abertas”, avalia Roosevelt.

Essa foi a primeira experiência com viagem internacional dos dois, que embarcaram no dia 3 de outubro, mas anteciparam a volta 10 dias depois. 

“A região em que a gente estava não é diretamente exposta ao conflito, mas tomamos a decisão de retornar para o Brasil quando ficamos sabendo dos primeiros sequestros de civis. Conversamos e decidimos que seria o mais adequado”, relata Chagas.

Os dois repatriados estavam hospedados na cidade de Hatzva, região mais ao Sul de Israel, enquanto a escalada de bombardeios se concentra na Faixa de Gaza, território palestino, e em Tel Aviv, Jerusalém e Cisjordânia. 

“Fizemos questão de prestar total assistência e suporte aos nossos estudantes. Eles foram muito elogiados, considerados de excelência, o que demonstra a nossa potencialidade e a importância das pesquisas que a Universidade mantém com Israel”, declarou a reitora Ludimilla de Oliveira.

Outros potiguares

Além dos estudantes, um grupo de 25 potiguares que fazia turismo religioso também voltou a Natal em segurança. Uma primeira parte, com 12 pessoas da excursão, já havia deixado Israel na segunda (9) em voos comerciais.

Os outros 13 chegaram nesta quinta (12) a Natal. Eles saíram de Tel Aviv, na quarta (11), por volta das 12h30 (horário de Brasília), numa aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) que decolou com 214 passageiros. A viagem durou 14 horas e o avião chegou na madrugada desta quinta (12) na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.