Missão brasileira na China fortalece parceria na Agricultura Familiar
Natal, RN 17 de jul 2024

Missão brasileira na China fortalece parceria na Agricultura Familiar

5 de novembro de 2023
5min
Missão brasileira na China fortalece parceria na Agricultura Familiar

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Intercâmbio de tecnologia, cooperação técnica e novos mercados. A busca em fortalecer a parceria entre a China e o Nordeste brasileiro no acesso dos agricultores familiares às máquinas e tecnologias levou a Câmara Temática da Agricultura Familiar do Consórcio Nordeste à maior feira de mecanização e tecnificação da República Popular da China, realizada de 25 a 28 de outubro, na cidade de Wuhan.

Essa nova Missão Sino-brasileira significa uma continuidade de uma parceria que se estabelece com o Nordeste, com o Consórcio Nordeste”, explica o secretário estadual de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar, Alexandre Lima, coordenador da Câmara Temática da Agricultura Familiar do Consórcio Nordeste.

Em 2021, um memorando de entendimento assinado entre o Consórcio Nordeste e a Universidade Agrícola da China (CAU), com foco na mecanização da tecnificação da agricultura familiar, marcou o início dessa colaboração. Os contatos culminaram na visita de uma missão chinesa ao Rio Grande do Norte em abril deste ano.

Foto: Diego Pessoa

“Essa iniciativa, agora, visa fortalecer a cooperação e trazer benefícios significativos para a agricultura familiar no Rio Grande do Norte, no Nordeste e em todo o Brasil”, avalia Alexandre Lima.

A parceria visa a mecanização da agricultura familiar e a tecnificação no Nordeste do Brasil que enfrenta baixos níveis, com apenas 2,3% de tecnificação na agricultura familiar. “Esse esforço conjunto entre o governo do Rio Grande do Norte, o Consórcio Nordeste e o Governo Federal, liderado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, visa preencher essa lacuna histórica”, explica Alexandre.

A mecanização agrícola adaptada à realidade da agricultura familiar no Nordeste brasileiro é uma pauta que vem sendo discutida desde 2020 pela Câmara Temática do Consórcio Nordeste, que reúne gestores e gestoras dos nove estados da região e agora, a partir da recriação do MDA, ganha o envolvimento do governo federal. No centro desse processo está o Estado do Rio Grande do Norte, especialmente o município de Apodi.

O governo federal, a partir da recriação do MDA, agora desempenha um papel fundamental nessa iniciativa, apoiando a testagem de equipamentos chineses no município de Apodi, que se tornará um campo internacional de testagem”, pontua Lima.

A iniciativa também envolve a Universidade Agrícola da China e empresas chinesas que estão enviando máquinas agrícolas de pequeno porte para o Brasil. Essas máquinas são adaptadas às necessidades da agricultura familiar, sendo de fácil manuseio e manutenção, e respeitando a realidade agrária, ambiental e social da região.

Se a agricultura familiar já é a maior produtora de alimentos do mercado interno, com essa tecnificação nós vamos ampliar e ganhar escala. É um mundo que se abre, é uma nova perspectiva que se abre”.

Atualmente, cinco empresas chinesas estão enviando mais de trinta máquinas que serão testadas no Brasil, com um investimento total estimado em mais de R$ 2 milhões. Essas máquinas irão beneficiar diretamente as famílias agricultoras e terão um impacto positivo na produção de alimentos.

Estamos trazendo, por exemplo, uma colheitadeira de arroz para Apodi, que é o maior produtor de arroz vermelho do Rio Grande do Norte e um dos maiores do Nordeste, e já será utilizada a partir do próximo ano pelos agricultores familiares do município”, enfatizou Lima.

O objetivo é criar uma rede de avaliação dessas máquinas, com mais de doze profissionais acompanhando seu desempenho nas comunidades durante dois anos. “O Rio Grande do Norte está se tornando um centro de testagem para esses equipamentos chineses, e a parceria busca transferência de tecnologia e a instalação de fábricas chinesas na região”, revela Lima. O foco é não apenas importar equipamentos, mas também promover a produção local e a geração de empregos.

A parceria entre o Rio Grande do Norte e a China está criando oportunidades para a agricultura familiar, especialmente para mulheres e jovens, além de promover a produção de alimentos saudáveis e sustentáveis”, ressalta Alexandre ao explicar que a iniciativa pode se tornar um exemplo de cooperação internacional bem-sucedida, com o Rio Grande do Norte liderando o caminho para a tecnificação da agricultura familiar no Brasil e na América Latina.

Além do secretário de Agricultura Familiar do Rio Grande do Norte, Alexandre Lima, o Subsecretário do Consórcio Nordeste, Diego Pessoa, representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), e um consultor contratado pelo MST, João Mitsuí, participaram da Missão Sino-brasileira.  

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.