50% da população no RN é de pardos, revela IBGE
Natal, RN 20 de mai 2024

50% da população no RN é de pardos, revela IBGE

22 de dezembro de 2023
5min
50% da população no RN é de pardos, revela IBGE
Pessoas no centro de Natal I Foto: Mirella Lopes

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Dos 167 municípios do Rio Grande do Norte, em 127 há predominância de pessoas pardas e em 40 deles, os pretos são maioria, segundo os dados divulgados nesta sexta (22) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a partir de dados colhidos no Censo de 2022.

Pelo levantamento, os pardos são 50,9% da população no RN, em seguida, aparecem as pessoas brancas (39,5%), as pretas (9,2%), indígenas (0,3%) e amarelas (0,2%).  

O Nordeste possui 1.720 municípios (53%) com predominância de pessoas pardas, esse número chega a 623 na Região Sudeste (19,2%), 432 na Região Norte (13,3%), 426 na região Centro-Oeste (13,1%) e a 44 na região Sul (1,4%).

De maneira geral, a distribuição espacial da população segundo cor ou raça no Brasil se deu da seguinte forma: a maioria das pessoas pretas estão no Nordeste (13%), em seguida vem o Sudeste (10,6%), o Centro-Oeste (9,1%), o Norte (8,8%) e o Sul (5%).

No Nordeste, a maioria dos que se autodeclararam pretos estão na Bahia, em seguida, o ranking traz os estados de Pernambuco, Maranhão, Ceará, Piauí, Paraíba, Rio Grande do Norte, Alagoas e Sergipe.

Em apenas seis municípios, em todo o país, as pessoas pretas ultrapassam mais de metade da população: Serrano do Maranhão (MA): 58,5%, Antônio Cardoso (BA): 55%, Cachoeira (BA): 51,8%, Conceição da Feira (BA): 50,3%, Ouriçangas (BA): 52,8% e Santo Amaro (BA): 50,9%. Dentre os 130 municípios que apresentam mais de 25% de população preta, 98 encontram-se na Bahia, 9 em Minas Gerais, 8 no Tocantins, 6 no Maranhão, 4 no Piauí, 2 em Sergipe, 1 no Pará, 1 no Rio de Janeiro e 1 em Goiás.

Já no Brasil, 15 estados possuem municípios com mais da metade da população formada por pessoas brancas, sendo 25 cidades no Rio Grande do Norte.

A pesquisa foi realizada a partir da autodeclaração dos entrevistados do Censo, que é como a pessoa se reconhece. O IBGE considera como “parda” toda pessoa que se declare parda ou que se identifique com mistura de duas ou mais opções de cor ou raça, incluindo branca, preta, parda e indígena.

Concentração

A população parda era o grupo com maior peso relativo na população residente nas Regiões Norte (67,2%), Nordeste (59,6%) e Centro-Oeste (52,4%).

O Sul concentrava o maior percentual de brancos (72,6%) em sua população, seguido do Sudeste (49,9%). Já nas demais regiões, o peso relativo da população branca estava abaixo do peso nacional (43,5%), sendo de 37% no Centro-Oeste, de 26,7% Nordeste e 20,7% no Norte.

Já a região com maior concentração de população preta era o Nordeste (13%), seguida do Sudeste (10,6%), ambas acima do peso relativo nacional da categoria (10,2%). A Região Sul apresentava o menor peso relativo da população preta em sua população residente, com 5%, seguida do Norte (8,8%) e do Centro-Oeste (9,1%).

Fonte: IBGE

Brasil

O IBGE revelou que O Brasil possui 92.083.286 pessoas pardas (45,3%), 88.252.121 brancas (43,5%), 20.656.458 pretas (10,2%), 1.694.836 indígenas (0,8%) e 850.130 amarelas (0,4%).

Entre 2010 e 2022, considerando que houve um aumento de 6,5% da população total no Brasil, foi registrado uma elevação de 42,3% da população preta, que passou de 14.517.961 (7,6% da população residente) para 20.656.458, ou seja, 10,2% do total da população.

Também houve aumento de 11,9% da população parda, que passou de 82.277.333 (43,1%) para 45,3%, tornando-se a categoria com maior peso relativo.

Foi observado, ainda, um aumento de 89% da população indígena, passando de 896.917 (0,5%) para 1.694 836 (0,8%). Verificou-se também decréscimo de 59,2% da população amarela, que baixou de 2.084.288 (1,1%) para 850.130 (0,4%), retornando a patamares próximos aos dos censos de 1991 e 2000. Também houve decréscimo 3,1% da população branca, que passou de 91.051.646 (47,7%) em 2010 para 88.252.121 (43,5%) em 2022.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.