Dores nas costas: um problema mundial, diz OMS
Natal, RN 26 de mai 2024

Dores nas costas: um problema mundial, diz OMS

6 de março de 2024
5min
Dores nas costas: um problema mundial, diz OMS
Foto: Agência Brasil

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A dor nas costas, especialmente na região lombar, é um problema de saúde que vem se tornando frequente em mais e mais pessoas. Inclusive, a Organização Mundial da Saúde (OMS) apontou a dor lombar como a principal causa de incapacidade do planeta. Por causa disso, a dor na lombar impede milhões de pessoas pelo mundo de realizarem atividades básicas do dia a dia. 

Em 2021, o Ministério do Trabalho divulgou um dado via Agência Brasil afirmando que mais de 55 mil trabalhadores pediram afastamento entre janeiro e julho daquele ano, por problemas na coluna. Tornando-se, portanto, a segunda maior causa de licenças, perdendo somente para a Covid-19, naquela época. Má postura, por exemplo, é uma das causas.

Colocando em números, um estudo feito em 2020 apontou que 1 a cada 13 indivíduos (619 milhões de pessoas) apresentaram dores nas costas, o que representa um aumento de 60% em relação ao ano de 1990. E para piorar, a OMS calcula que a condição afetará 843 milhões até 2050, em todo o planeta, o que significa que o número de pessoas com dores na região lombar vai continuar subindo durante as próximas décadas.  

Robson Queiroz, ortopedista da Hapvida NotreDame Intermédica, explica que a dor nas costas pode ter diversas origens, incluindo questões mecânicas, posturais, à posição adotada durante o tempo de trabalho e até mesmo fatores psicológicos. Além disso, o especialista também alerta para alguns sinais que indicam quando o quadro de lombalgia está mais grave, como febre, perda de peso associada à dor lombar, fraqueza ou formigamento nas pernas e ainda quando a dor não melhora após meses. 

Dicas do especialista 

O ortopedista explicou à Agência Saiba Mais que manter uma posição correta ajuda a evitar problemas na região lombar, mas que a postura correta não se remete apenas ao momento de trabalho. “Você adotar uma posição correta é uma coisa que abrange em várias esferas no seu dia a dia”, apontou. 

Falando em trabalho, o especialista deu dicas para as pessoas que trabalham durante muito tempo sentadas. Uma delas, é a posição correta do computador: a máquina deve estar na altura dos olhos. Além disso, você deve obter um suporte para a posição dos pés e apoiar os cotovelos adequadamente, caso a pessoa trabalhe digitando. 

Para quem pratica exercícios físicos em academias, o ortopedista aconselha sempre procurar realizar os exercícios da maneira mais correta possível. “Fazer o exercício corretamente vai contribuir para que você não tenha um quadro de lombalgia. É como a gente sempre fala, o exército correto ajuda bastante. Já o exercício incorreto prejudica.”, avalia. Ou seja, busque apoio de um treinador físico para auxiliá-los nos exercícios.  

Outra medida eficaz para combater a lombalgia é fazer a escolha certa na hora de comprar travesseiros e colchões. Escolher um travesseiro alto, por exemplo, propicia ainda mais a dor na coluna, como aponta a especialista. Outro fator importante na hora do sono, é escolher bem a posição de dormir. “Você deve dormir de lado, colocar um travesseiro a meia altura e outro entre os joelhos”, explica. 

Dor na coluna também acomete crianças 

Nem os pequenos estão livres dos problemas na coluna. “Hoje é muito comum a dor na coluna acometer as crianças”, explicou Queiroz. Por sorte, existe uma medida muito comum e eficaz para os pais de plantão: usar a mochila de forma correta.

 “Uma criança que usa mochila nas costas. Isso não é mais indicado. O mais indicado, hoje, é a criança usar uma mochila que você possa carregar com rodinhas. Existe um tamanho correto do ‘braço’ da mochila pra você carregar”, ensinou o especialista. 

1° Manual da OMS sobre o problema 

A Organização Mundial da Saúde lançou em dezembro de 2023 uma diretriz para orientar o tratamento da dor lombar crônica, que consiste quando a dor dura mais de três meses seguidos. O documento é assinado por especialistas do mundo inteiro e lista o que funciona e o que não funciona no tratamento de dores lombares. 

O que funciona: 

  • programas educativos que apoiam conhecimentos e estratégias de autocuidado;
  • programas de exercícios;
  • algumas terapias físicas, como terapia manipulativa espinhal e massagem;
  • terapias psicológicas, tais como terapia cognitivo-comportamental; e
  • medicamentos, como medicamentos anti-inflamatórios não esteróides.

O que não funciona: 

  • aparelhos lombares, cintos e/ou suportes;
  • algumas terapias físicas, como tração (ou seja, puxar uma parte do corpo);
  • alguns medicamentos, como analgésicos opioides, que podem estar associados a overdose e dependência.

É importante destacar que é a lista da OMS, embora ajude a padronizar os tratamentos para dor lombar crônica primária, é fundamental procurar um médico especialista, já que cada paciente deve ser cuidado de acordo com suas particularidades. 

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.