Mais de 80 indígenas do RN vão à Acampamento Terra Livre
Natal, RN 24 de mai 2024

Mais de 80 indígenas do RN vão à Acampamento Terra Livre

22 de abril de 2024
1min
Mais de 80 indígenas do RN vão à Acampamento Terra Livre
Um dos ônibus que saiu do RN | Foto: @indigenasdorn

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O movimento indígena do Rio Grande do Norte levou mais de 80 pessoas para o Acampamento Terra Livre (ATL), que acontece a partir desta segunda (22) até sexta (26), na Fundação Nacional de Artes (Funarte), em Brasília (DF).

Foram dois ônibus com representantes de 15 aldeias e três povos, entre crianças, jovens, mulheres e lideranças.

O ATL é a maior mobilização indígena do Brasil. Neste ano, carrega o tema “Nosso marco é ancestral. Sempre estivemos aqui”, marcando a edição de 20 anos. O ATL 2024 ocorre após a derrubada do marco temporal no Supremo Tribunal Federal (STF) e a aprovação da lei nº 14.701/2023, que legalizou a tese e diversos crimes contra os povos indígenas, no ano passado.

O enfrentamento ao Marco Temporal é um dos temas centrais do Acampamento. Segundo levantamento feito pelo Coletivo Proteja, no primeiro mês da aprovação da lei nº 14.701, seis lideranças indígenas foram assassinadas no país. O dado é referente a 14 de dezembro de 2023 – data em que a lei entrou em vigor – a 21 de janeiro de 2024.  No mesmo período, também foram mapeados 13 conflitos em territórios localizados em sete estados.

De acordo com o cacique Luiz Katu, houve uma mobilização estadual pelo movimento indígena potiguar, organizado através da microrregional da Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo (Apoinme) e suas lideranças. 

“Encabeçamos uma campanha a nível estadual disponibilizando um Pix de duas lideranças e começamos a articular com parceiros, porque o movimento indígena tem uma articulação com vários apoiadores, indigenistas, estudantes, universitários, pessoas das redes sociais que são sensíveis à causa indígena”, explicou. 

Um dos ônibus foi conquistado por meio de apoio do Ministério dos Povos Indígenas, articulado a partir da vinda da ministra Sônia Guajajara ao RN no começo de abril. O segundo veículo também veio de um parceiro, mas a mobilização continua, já que é preciso recurso para a alimentação e outros gastos. 

Confira abaixo as chaves Pix disponíveis para doação:

CHAVE PIX: 105.835.074-92 (Dioclécio Bezerra da Costa)

CHAVE PIX: 84994351633 (Francisca Conceição Bezerra)

Já durante a semana, os indígenas potiguares vão participar de reuniões e atividades no ATL. Uma das demandas locais é da demarcação de terras. O Rio Grande do Norte é o único estado do Brasil sem nenhuma terra indígena demarcada. Uma das promessas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) era demarcar 14 terras indígenas em seus 100 primeiros dias de governo, mas até este mês, passado mais de um ano, foram homologadas 10 das 14 terras apontadas pelo Grupo de Transição como prontas para a assinatura.

“Hoje a gente está organizado para participar de todas as mobilizações aqui dentro de Brasília. Vamos visitar ministérios, vamos cumprir agenda na Funai, vamos tratar a questão da demarcação do nosso território, os processos que estão judicializados de demarcação, a questão da saúde indígena”, narra Luiz Katu.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.