Computadores da Presidência têm apagão de dados após derrota de Bolsonaro; Jean e Zenaide pedem investigação

Os computadores do Palácio do Planalto – sede da Presidência da República – viveram um apagão de dados após o segundo turno das eleições, que levaram Jair Bolsonaro (PL) à derrota. A alegação oficial é de que houve uma “ameaça” ao sistema, e os servidores foram orientados a formatar as máquinas. Para senadores da oposição, como Jean Paul Prates (PT) e Zenaide Maia (PROS), há um risco de destruição de arquivos importantes para a transição de governo e para o serviço público.

MP investiga Prefeitura de Natal por distribuir kits do governo Bolsonaro na semana da eleição

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) iniciou uma investigação contra a Prefeitura de Natal por distribuição de kits de assistência social durante a semana do segundo turno das eleições presidenciais. Nas entregas, a secretária Ana Valda Galvão ressaltava que as doações eram frutos do Governo Federal. A denúncia foi feita pela vereadora de Natal, Brisa Bracchi (PT), que aponta um suposto crime de improbidade administrativa.

MP investiga poluição sonora em ato golpista no Exército e pede providências a Prefeitura de Natal

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) emitiu uma portaria para apurar possível poluição sonora e perturbação do sossego alheio em frente ao 16º Batalhão de Infantaria Motorizada do Exército, na avenida Hermes da Fonseca, em Natal. No mesmo documento, o MP solicita que secretarias da Prefeitura de Natal fiscalizem o ato para diminuir ou cessar a poluição sonora. A decisão consta no Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira (11).

MPT recolhe provas e investiga Prefeitura de Natal por assédio eleitoral; foram 10 denúncias ao todo

O Ministério Público do Trabalho (MPT) solicitou nesta semana as provas que apontam um suposto crime de assédio eleitoral cometido pela Prefeitura de Natal, através do prefeito Álvaro Dias (PSDB). O processo surgiu após uma reportagem produzida pela Agência SAIBA MAIS, que revelou um encontro organizado por Dias com empresários da capital em que discutiram estratégias para incutir o voto em Bolsonaro entre seus funcionários durante o segundo turno das eleições.

“Não existe manifestação antidemocrática, é apenas crime cometido em grupo”, explica jurista

De verde e amarelo, dizendo-se patriotas, pedem intervenção militar para impedir que o presidente eleito democraticamente, Luís Inácio Lula da Silva (PT), tome posse.

Plenário da Câmara durante votação da reforma trabalhista de 2017; ao fundo, o então presidente da Casa, Rodrigo Maia - Antonio Cruz/Agência Brasil

Articulada por Rogério Marinho, reforma trabalhista completa 5 anos com piora de empregos e promessa de revisão

A Reforma Trabalhista – articulada pelo potiguar Rogério Marinho – completa nesta sexta-feira (11) cinco anos de vigência. Proposta e aprovada durante o governo do ex-presidente Michel Temer (MDB), a mudança na legislação sobre o trabalho no país reduziu direitos de empregados e contribuiu para a queda de seus rendimentos. Por isso, deve passar por uma revisão durante o próximo governo.

Parlamentares potiguares se reúnem com Lula e presidente eleito chora ao falar sobre combate à fome

Parlamentares do Rio Grande do Norte participaram na manhã desta quinta-feira (10) de um encontro de bancadas aliadas com o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). No evento – realizado na sede da transição de governo – o petista se emocionou ao falar do objetivo de combater a fome mais uma vez no país. Às lágrimas, ele foi aplaudido de pé pelos deputados e senadores.

Após negarem urgência, bolsonaristas aprovam projeto que torna pedofilia crime hediondo

Após rejeitarem a urgência da matéria, os deputados bolsonaristas que compõem a bancada federal potiguar votaram a favor do Projeto de Lei nº 1776/15, que inclui crimes relacionados à pedofilia no rol de crimes hediondos, aumenta suas penas e limita a possibilidade de saída temporária para quem os cometer. A matéria foi aprovada por unanimidade na Câmara dos Deputados e segue agora para análise do Senado.