Principal

Álvaro Dias tensiona com Governo e admite que situação é “difícil, caótica e dramática” em Natal

Com a região Metropolitana sendo o epicentro da pandemia no Rio Grande do Norte, o prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB) admite que a crise sanitária chegou a uma situação “difícil, caótica e dramática”. A declaração foi dada durante entrevista no RNTV, da Inter TV, nesta terça-feira (9), em meio a ataques ao governo do estado.

A fala de Álvaro Dias expõe sua incapacidade de diálogo com a governadora Fátima Bezerra (PT) mesmo em situações extremas e também como o prefeito busca priorizar os empresários em detrimento da saúde da população.

Fátima chegou a fazer um apelo ao prefeito para acatar as medidas necessárias à prevenção da covid-19, que preferiu decretar medidas de restrição mais brandas.

O toque de recolher válido em todo o RN, decretado pelo Governo, é das 20h às 6h e aos domingos em tempo integral. O decreto municipal determinou o fechamento de estabelecimentos às 21h e não mencionou os domingos.

As escolas só podem ter aulas presenciais para os anos iniciais, de acordo com o Governo do RN. Para a Prefeitura de Natal, as escolas particulares estão prontas para receber os estudantes de todas as idades.

“A nossa preocupação é com emprego, principalmente com os trabalhadores da iniciativa privada”, revelou o prefeito. “Isso aí é uma outra pandemia. Se a pandemia do coronavírus mata, e mata mesmo, o desemprego e a fome também matam. Pessoas sem ganhar dinheiro vão morrer também. Essa é a nossa preocupação”.

Álvaro Dias disse que está fazendo a parte dele e atacou o Governo por não ter instalado um hospital de campanha, medida que chegou a ser anunciada, mas por recomendação dos Ministérios Públicos, não se concretizou. Ao invés disso, o investimento foi direcionado à rede de saúde já existente.

O prefeito falou sobre a duplicação da capacidade do Hospital de Campanha, passando de 20 para 40 leitos, e negou a efetiva parceria do Governo, que equipou dez desses leitos críticos. Nesta manhã, a unidade opera com 33 leitos de UTI, todos já ocupados.

Apesar de repetir que tem um bom relacionamento com a governadora, Álvaro lembra que participará de uma audiência de conciliação convocada pela Justiçapara a próxima quarta-feira (10). O encontro entre o Estado e Município é exatamente para que seja alcançado um denominador comum a respeito dos decretos publicados.

Ainda durante a entrevista Álvaro Dias chegou a falar que não fez campanha eleitoral nas ruas. A verdade é que ele, candidato à reeleição, chegou a proibir em decreto caminhadas, carreatas, passeatas e comícios na capital potiguar durante a campanha eleitoral, mas seguiu indo às ruas.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais