“O maior desvio de dinheiro público do Brasil”, dispara Flávio Dino sobre acusações que atingem Rogério Marinho
Natal, RN 20 de jun 2024

“O maior desvio de dinheiro público do Brasil”, dispara Flávio Dino sobre acusações que atingem Rogério Marinho

7 de março de 2022
2min
“O maior desvio de dinheiro público do Brasil”, dispara Flávio Dino sobre acusações que atingem Rogério Marinho

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O governador do Maranhão Flávio Dino (PSB) não economizou palavras para classificar o “tratoraço”, o suposto “orçamento secreto” criado no governo Bolsonaro. As acusações atingem a pasta do Desenvolvimento Regional, comandada pelo potiguar Rogério Marinho (PP).

“Estamos vendo, aos olhos de todos, o maior desvio de dinheiro público da história brasileira. Nada chega perto disso. Qualquer governo sério e decente que vier depois, tem que desmontar esse esquema feito com as emendas do relator”, disse

As declarações foram dadas em entrevista ao portal Brasil 247. Flávio Dino é pré-candidato ao Senado Federal pelo Maranhão em 2022.

O governador maranhense vai além. Para ele, existe um paralelo entre as omissões relativas ao “orçamento secreto” e o “engavetamento de provas dos atos de corrupção e desídia cometidos pelo presidente da República e seus auxiliares”, inclusive com a criação de obstáculos para avanços na CPI da Covid, ainda em curso no Senado.

Tratoraço

O “tratoraço” ficou conhecido após uma série de matérias d’O Estado de São Paulo. Segundo o jornal, o esquema envolveu a destinação de R$ 3 bilhões em emendas do orçamento da União em troca de apoio ao Governo no Congresso Nacional. O ministério comandado por Rogério é o campeão em dotação e execução dessas emendas. Governo e auxiliares negam as acusações.

Flávio Dino, por sua vez, afirma ainda na entrevista que a troca de apoio a partir da indicação das emendas do relator representa “uma roubalheira de dinheiro público”:

“É isso o que está acontecendo, na cara de todo mundo”.

O assunto está sendo investigado pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.