RN tem menor taxa de transmissibilidade de covid-19 desde o início da pandemia
Natal, RN 20 de jun 2024

RN tem menor taxa de transmissibilidade de covid-19 desde o início da pandemia

7 de março de 2022
3min
RN tem menor taxa de transmissibilidade de covid-19 desde o início da pandemia

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O Rio Grande do Norte tem a menor taxa de transmissibilidade de covid-19 desde o início da pandemia. Quem chamou atenção para o dado foi o diretor executivo do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN), Ricardo Valentim, ao publicar, nesta segunda-feira (7), print de gráfico com taxa de transmissão estimada da doença.

“Estamos no melhor cenário epidemiológico até o momento”, comentou a imagem que mostra taxa de 0.48 em 27 de fevereiro.

Essa queda do número de infecções ocorre um mês depois do pico de casos da pandemia no estado. Na última semana de janeiro, diariamente eram confirmados cerca de mil novos casos da doença e a taxa de transmissão estava próxima de 2.

De acordo com o Boletim Epidemiológico 547, publicado nesta segunda-feira pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap-RN), 11 casos foram confirmados nas últimas 24 horas.

Ocupação de leitos

A governadora Fátima Bezerra (PT) começou a semana comemorando a fila zerada para leitos de UTI-covid. “Esta é uma vitória da da vacinação, da ciência e de um governo que valoriza a vida. Sigamos nesta direção! Não esqueçam de completar seu esquema vacinal e de vacinar suas crianças. #AceleraVacina”, publicou nesta manhã.

Mesmo após a conversão de leitos covid para atender a outras doenças, a taxa de ocupação segue abaixo dos 30%. Às 17h desta segunda-feira, o RN tem 29,5% dos leitos críticos ocupados. São 46 críticos e 41 clínicos ocupados.

De acordo com a plataforma RN + Vacina, o estado tem 91% da população geral com a primeira dose e 79% com a segunda. Apenas 37% tomou a dose de reforço e entre as crianças, de 5 a 11 anos de idade, a taxa de vacinação cai para 48% e 4%, com primeira e segunda dose, respectivamente. Por essa razão, as autoridades sanitárias têm reforçado a importância da imunização também desse público.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.