Rampa: governo do RN assegura rompimento de acordo e Casa da Ribeira aguarda comunicado oficial
Natal, RN 29 de mai 2024

Rampa: governo do RN assegura rompimento de acordo e Casa da Ribeira aguarda comunicado oficial

26 de janeiro de 2023
8min
Rampa: governo do RN assegura rompimento de acordo e Casa da Ribeira aguarda comunicado oficial

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A Casa da Ribeira publicou mais uma nota, nesta quinta-feira (26), informando que não foi oficialmente comunicada sobre suspensão ou rescisão do acordo de cooperação com o Governo do Rio Grande do Norte para implantação do “Complexo Cultural Rampa”.

De acordo com a Procuradoria-Geral do Estado (PGE-RN), o contrato se tornou “inexequível” diante da retirada do patrocínios de parceiros privados. Em entrevista ao jornal Tribuna do Norte nesta quinta-feira (26), o procurador-geral, Antenor Roberto, disse que o governo vai propor ao Ministério Público uma mudança para alterar principalmente a forma de financiamento. A ideia é substituir o “acordo de cooperação” (captação via renúncia fiscal) por um “termo de cooperação” (com possibilidade de transferência de recurso público direto).

Com a mudança, a parceria com a Casa da Ribeira é desfeita e o processo segue a legislação do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC), com possibilidade de chamamentos públicos e editais de concurso.

A empresa diz que aguarda a decisão formal para seguir com os próximos passos em relação ao projeto de Implementação do Complexo Cultural Rampa, tal como ocorreu durante todo o projeto, incluindo a Prestação de Contas do Projeto na Lei de Incentivo à Cultura Câmara Cascudo. Pontua ainda que sempre respeitou as determinações do Estado. A empresa ressalta que “em 22 anos de existência, já realizou mais de 40 projetos, 20 editais e dezenas de exposições comprometidas com o fazer sociocultural, não tendo absolutamente nada que desabone a sua conduta, nem qualquer indício de qualquer irregularidade na execução dos seus projetos”.

SAIBA MAIS: Contrato entre Governo do RN e Casa da Ribeira para implantação do Complexo Rampa é novamente suspenso

Na segunda-feira (23), o Ministério Público do Rio Grande do Norte propôs a assinatura de um TAC com o Governo buscando a rescisão do contrato com a Casa da Ribeira.

A Casa da Ribeira, proponente do projeto Rampa, tem executado a coordenação do projeto e outras funções, e realizou contratações específicas, de expertises em diferentes áreas, devido à sua complexidade, um espaço de 11 mil metros quadrados. Ainda de acordo com o texto publicado, as planilhas orçamentárias de ambas as fases foram apreciadas pela Comissão Estadual de Cultura (CEC), dentro da conformidade e tramitação a que todo e qualquer proponente é submetido quando da entrada de projetos na Lei Câmara Cascudo.

E mais uma vez ressaltou que não houve repasse financeiro direto do Governo do Estado do RN para a execução do projeto em nenhuma das fases. Toda a captação de recursos foi via lei de incentivo estadual e patrocínio de empresas privadas. Também volta a dizer que os valores praticados estavam dentro dos valores de mercado à época da submissão dos projetos.

A Casa da Ribeira explicou didaticamente as etapas do projeto e detalhou os gastos.

Entenda

O Projeto Rampa, como qualquer construção, como uma residência, por exemplo, precisa de projetos de arquitetura, engenharias, projetos complementares como iluminação e elétrica e, ainda, de todo o aparato de usabilidade como móveis, utensílios de uso diário e todo o design e equipamentos.

A Rampa é um equipamento do Governo do RN, gerido por ele, que tem 11 mil metros quadrados, então pode-se imaginar a quantidade de ideias, projetos e consultorias que esse espaço precisa ter para ser chamado, de fato, de Complexo Cultural.

Assim, grande parte de todos os recursos captados pela Casa da Ribeira, via Lei de Incentivo à Cultura, sem dinheiro diretamente investido pelo Governo, foram inseridos dentro das etapas do Plano de Trabalho aprovado pelo próprio Governo, de modo que este concordou e deu o aval para a realização do projeto em todas as suas fases.

São duas frentes do Plano de Trabalho:

*Tornar a Rampa um museu (Fase 01)*

Para tornar-se um Museu, qualquer empreendimento cultural precisa seguir o DECRETO Nº 8.124, DE 17 DE OUTUBRO DE 2013 que regulamenta o setor. A Rampa ainda não é um museu.
Em 2021, a Casa da Ribeira contratou uma das maiores especialistas da área, a diretora do ICOM (Conselho Internacional de Museus), Marília Bonas, que coordenou em 2021-2022 uma equipe com 04 pesquisadores potiguares e produtores de catalogação e licenciamento de imagens para iniciar os estudos e identificar os conjuntos patrimoniais do futuro Museu Rampa que faz parte do Complexo Cultural Rampa. A Casa da Ribeira gostaria de entregar um Plano Museológico para o Governo do RN, para que ele possa criar o Museu da Rampa. O Plano Museológico necessita de um grupo técnico multidisciplinar para realizar 11 projetos/estudos necessários para que o IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus) possa credenciar a Rampa como um Museu. São projetos nas áreas educativa, acervos, exposições, pesquisa, comunicação até as áreas de gestão de pessoas e segurança.

*Tornar a Rampa um Complexo Cultural importante nacionalmente (Fase 02)*

Em relação ao projeto Rampa, a Casa da Ribeira coordena uma equipe de 39 pessoas divididas em 07 coordenações com o intuito de realizar os Projetos Executivos das áreas de eventos, para música, teatro, entre outras, para as áreas de convivência, para as áreas administrativas, para as áreas de acervo e museologia, para as 02 (duas) exposições, 08 (oito) Obras de arte de grande escala, de 06 obras comissionadas, e ainda o desenho de projetos de iluminação, sonorização, dados, audiovisual para só assim, fazer a aquisição e instalação de equipamentos de alta tecnologia.

Considera-se que grande parte dos projetos executivos, consultorias, coordenações, pesquisas e parte dos equipamentos e obras de arte para a implementação do Complexo Cultural Rampa, cujo Plano de Trabalho foi aprovado pelo Governo do Estado no Acordo de Cooperação, já estão prontos. De modo que este dê aval para a realização do projeto em todas as suas fases.

A Casa da Ribeira, em maio de 2021, realizou uma prestação de contas parcial da Fase 01 do projeto, e outra em junho de 2022, da Fase 02 do projeto, realizamos uma prestação de contas parcial em julho de 2022 e, agora, aguarda a decisão final do Governo para a entrega dos Objetos do Contrato.

"Esperamos a decisão, para termos tempo de executar a Prestação de Contas com a entrega de todos os objetos executados até o momento" disse Henrique Fontes, presidente da Casa da Ribeira.

SAIBA MAIS

Fase 1 - captados R$ 999.460,00 e realizados 84%
Valor total do projeto R$ 999.460,00

  • Núcleo Museológico (Processo dedicado ao mapeamento histórico-social cujo material pesquisado e produzido está disponível para a população no Acervo Digital do Complexo Cultural Rampa no www.rampacultura.com.br/links)
  • Programa Educativo (Desenvolvimento de propostas educativas, com a intenção de provocar todas as dimensões do Complexo Cultural: arte.museu.paisagem)
  • Exposição Temporária (trabalho colaborativo entre o Núcleo Museológico e o Núcleo de Curadoria)
  • Consultorias que objetivam a modelagem para o Plano Museológico do futuro Museu Rampa
    - Inovação e sustentabilidade em equipamentos Culturais
    - Estruturação jurídica (constituição de personalidade jurídica)
    - Análise operacional financeira (custos de manutenção e financiamentos diversos, incluindo Fundo Endowment)
    - Brandbook Marca Rampa
    - Mapeamento de Ativações e Marketing
    - Estudos e Pesquisas Temáticas

Fase 2 – Foi realizado 29% do Projeto no valor total de R$ 6.479.267,00
Valor captado de R$ 2.479.267,00, e saldo a captar de R$ 4.000.000,00

  • Exposição Longa Duração | 08 anos de durabilidade: móveis de alta qualidade
  • 8 Obras de Grande Escala | áreas externas, inclusive com materiais de altíssima durabilidade
  • 6 Obras de Arte Comissionadas
  • 7 Réplicas de máquinas de voos
  • 8 Obras de arte adquiridas
  • Mobiliário externo e urbano | garantia de 10 anos alto tráfego
  • Equipamentos para recepção, bilheteria, guarda-volumes, iluminação cenotécnica, equipamentos de sonorização, entre outros | todos doados para o Complexo Cultural Rampa
  • Locação de equipamentos de alta tecnologia
  • Pagamentos de direitos autorais | áudio, audiovisual, fotografia, músicas e direitos conexos
  • consultorias técnicas, tais como: engenharia de segurança, paisagismo, projeto de som e acústica.

Importante ressaltar que durante todo esse processo, a Casa da Ribeira participou de diversas reuniões, com participação do Governo do Estado, Procuradoria Geral do Estado - PGE, Fundação José Augusto, Secretarias de Turismo e Educação, onde a Casa da Ribeira sempre atendeu aquilo que foi requerido da melhor forma possível, razão pela qual o projeto tramitou em todos os momentos, com total conhecimento do Estado, de forma clara e transparente.
A Casa da Ribeira permanece no aguardo da tomada de decisão do Governo do RN em relação ao Acordo de Cooperação assinado em outubro de 2021.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.