Potiguares fizeram mais de 8 mil laqueaduras de trompas nos últimos dez anos no RN 
Natal, RN 18 de jun 2024

Potiguares fizeram mais de 8 mil laqueaduras de trompas nos últimos dez anos no RN 

7 de março de 2023
3min
Potiguares fizeram mais de 8 mil laqueaduras de trompas nos últimos dez anos no RN 

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Entre os anos de 2012 e 2022, foram realizadas mais de 8 mil (8.508) laqueaduras de trompas no Rio Grande do Norte. Desse total, 6.249 procedimentos foram feitos ainda durante o parto, segundo os dados levantados pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) a pedido da Agência Saiba Mais. 

A maior parte dos procedimentos foram realizados pela Maternidade Escola Januário Cicco (1.670), em Natal, pelo Hospital Maternidade do Divino Amor (1.213), em Parnamirim, e pelo Hospital Universitário Ana Bezerra (675), em Santa Cruz. 

Mas, além das laqueaduras realizadas durante o parto, nos últimos dez anos, também foram feitos 2.259 procedimentos programados por meio de agendamentos. A média dos atendimentos segue o mesmo padrão, com a maioria das cirurgias realizadas pela Maternidade Escola Januário Cicco (670), pelo Hospital Universitário Ana Bezerra (520) e pelo Hospital Maternidade do Divino Amor (262). 

Todas as laqueaduras foram realizadas quando ainda estava em vigor a lei nº 9.263/ 1996, que estabelecia a dependência do consentimento expresso de ambos os cônjuges, no caso de casais, para a realização da cirurgia. A nova legislação (Lei nº 14.443), que garante às mulheres o direito de realizar a laqueadura de trompas sem a necessidade de autorização do marido, só entrou em vigor no início deste mês de março.  

A proposta é de facilitar o acesso ao planejamento familiar. Além de não precisar mais da autorização do cônjuge, outra mudança com a nova legislação é a idade mínima para fazer a laqueadura. Antes era preciso ter, no mínimo, 25 anos ou dois filhos vivos. Agora, a idade mínima é de 21 anos ou dois filhos vivos. 

Antes, não havia prazo para que os serviços de saúde disponibilizassem os métodos contraceptivos, quando estes eram solicitados pela mulher, com a nova lei, o prazo máximo é de 30 dias.  

Além disso, a antiga legislação também não permita a laqueadura durante o parto. Agora, a mulher pode programar o procedimento, desde que ela comunique os serviços de saúde com, pelo menos, 60 dias de antecedência ao parto.  

As alterações são consideradas um avanço para as mulheres em termos de direitos reprodutivos e políticas de planejamento familiar. Porém, para evitar a esterilização precoce, a nova lei manteve a exigência de que a solicitação da cirurgia seja feita por escrito. A pessoa interessada passa, então, a receber orientações médicas sobre as vantagens e desvantagens, além dos riscos e eficácia do procedimento. 

LAQUEADURA DE TROMPAS PROGRAMADAS NO RN: 

2012: 4 

2013: 220 

2014: 213 

2015: 151 

2016: 205 

2017: 232 

2018: 187 

2019: 224 

2020: 137 

2021: 274 

2022: 412 

TOTAL: 2.259 

LAQUEADURA DE TROMPAS DURANTE O PARTO NO RN: 

2012: 6 

2013: 662 

2014: 706 

2015: 750 

2016: 501 

2017: 521 

2018: 590 

2019: 612 

2020: 437 

2021: 636 

2022: 828 

TOTAL: 6.249 

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.