Wendel Lagartixa expõe militantes de esquerda, ameaça e sugere tiros
Natal, RN 2 de mar 2024

Wendel Lagartixa expõe militantes de esquerda, ameaça e sugere tiros

11 de dezembro de 2023
4min
Wendel Lagartixa expõe militantes de esquerda, ameaça e sugere tiros
Foto: reprodução

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Acusado de triplo homicídio, o policial reformado Wendel Lagartixa (PL) se envolveu em uma confusão no último sábado (9) com militantes sem teto e grupos aliados. 

Deputado estadual mais votado do Rio Grande do Norte no ano passado, Lagartixa não assumiu porque foi condenado por crime hediondo e está inelegível. 

Nome ruidoso da extrema-direita potiguar, ele estava em um shopping da zona norte de Natal quando o Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) iniciou uma manifestação da campanha “Natal Sem Fome” numa unidade do Carrefour, para que os sem teto conquistassem cestas básicas. No Rio Grande do Norte, mais de 300 famílias das ocupações urbanas permaneceram por mais de nove horas na unidade da zona norte.

Contrário ao protesto, Lagartixa foi para o meio e bateu boca com militantes. Enquanto o grupo participava da ação, um dos ônibus fretados para levar os manifestantes até o local foi incendiado.

Após isso, nas redes sociais, o policial militar reformado iniciou uma série de exposições de nomes e informações pessoais dos integrantes do grupo. Ao menos sete pessoas foram expostas entre publicações no feed ou stories do Instagram.

Entre ameaças de processos e de agressões físicas, Lagartixa foi além e sugeriu utilizar uma arma contra um dos manifestantes.

“Eu vou pegar você numa roda de amigos e só vai ficar nós dois no meio da roda para saber se você é bom de cacete mesmo. Se bem que eu não gosto de briga não. Depois que inventaram outras armas pra gente lidar com quem quer que seja, acabou, acabou-se esse negócio de macho tá cheirando macho. A conversa é outra”, afirmou.

A uma outra pessoa que havia citado os assassinatos relacionados a Lagartixa, o militar reformado reagiu, novamente com insinuações de bater no homem. 

“Você vai provar que eu sou miliciano, porque eu não tenho processo nenhum. Eu tô respondendo um triplo homicídio, mas não tem nada certo nesse forjado que fizeram para mim”, disse.

“A minha vontade é lhe dar uma esculhambação, mas você quer segurar o punho porquê a esculhambação vai ser no papel”, continuou Lagartixa.

No vídeo de 10 minutos, o político inelegível ainda disparou homofobia:

“Um bocado de militante. A maioria maconheiro cheirador de pó. Gay daqueles sem vergonha. Porque tem gay que é homem. Esses daí são os gays sem vergonha e as lésbicas safadas que têm no estado, que é quem puxa manifestação”, atacou.

Em nota, o MLB e a Unidade Popular, partido ligado ao grupo, denunciaram os atentados contra o MLB e as ameaças a estudantes e militantes de movimentos sociais na manifestação pelo Natal Sem Fome.

“As agressões físicas e verbais partiram de Wendel Lagartixa, ex-policial condenado por crime hediondo de porte de arma de uso restrito militar e é suspeito de participação em um triplo homicídio na Zona Norte de Natal. Ele não só ameaçou diversos membros do MLB, mas também, em suas redes sociais postou fotos de participantes da manifestação e ofereceu recompensas por informações que levassem à identificação e à localização de residência desses militantes. Estamos diante de uma clara perseguição política, que não pode ser ignorada”, alertaram os movimentos.

O MLB ainda pediu que a sociedade brasileira repudie os atos de violência política e intimidação:

“O direito à manifestação é sagrado e deve ser protegido, não atacado. Exigimos uma investigação imediata e eficaz por parte das autoridades para identificar e responsabilizar os perpetradores desses atos criminosos”, escreveu o movimento de sem teto.

“Exigimos justiça, responsabilização e a preservação da democracia e da integridade física e moral dos nossos companheiros (as)!”, pediu o MLB.

Agora, os militantes ameaçados por Lagartixa buscam proteção através do governo. Eles querem a garantia de segurança por meio da Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed).

Um integrante do movimento ainda disse que uma mulher sofreu uma cotovelada de Wendel Lagartixa e parou no hospital neste domingo (10) cuspindo sangue. O filho de uma outra militante também teria sido agredido.

Saiba mais

MLB tem ônibus incendiado após ocupar supermercado em Natal

Ocupação na rede Carrefour conquista 6 mil cestas básicas no Brasil

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.