MLB tem ônibus incendiado após ocupar supermercado em Natal
Natal, RN 22 de fev 2024

MLB tem ônibus incendiado após ocupar supermercado em Natal

10 de dezembro de 2023
3min
MLB tem ônibus incendiado após ocupar supermercado em Natal
Manifestantes ocupam Carrefour em Natal por um Natal sem fome I Foto: reprodução MLB

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Como parte da campanha “Natal sem fome”, integrantes do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) ocuparam vários supermercados da rede Carrefour em todo o Brasil neste sábado (9). Em Natal, enquanto o grupo participava da ação, um dos ônibus fretados para levar os manifestantes até o local foi incendiado.

É praticamente 1h da tarde e, praticamente, desde as 10h aqui no Carrefour em Natal, Rio Grande do Norte, fazendo a campanha do Natal Sem Fome pra reivindicar que a gente ganhe uma cesta básica. Enquanto a gente tava lá, esperando a negociação da matriz, conversando com o gerente, nosso ônibus foi incendiado de uma forma criminosa”, denunciou Marco Antônio, que faz parte do grupo.

Além de Natal, também houve mobilizações em Fortaleza, Salvador, Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo.

O criminoso taí, quem fez isso enquanto lutamos por uma coisa simples: uma cesta básica, um prato de alimentação”, acrescentou Marcos, que também denunciou ameaças e agressões sofridas pelos manifestantes.

Saiba Mais: Ocupação na rede Carrefour conquista 6 mil cestas básicas no Brasil

Marcos Antônio, do MLB no RN denuncia ataques e ônibus incendiado I Imagem: reprodução MLB

O objetivo do movimento é denunciar o desperdício de alimentos no setor, além das desigualdades sociais no país, com famílias que não terão o que comemorar, nem comer no Natal.

Depois de um acordo, as famílias que participaram das manifestações tiveram a garantia de que receberiam as cestas básicas do supermercado em 18 estados do país, entre eles, o Rio Grande do Norte.

Relembre

O Carrefour foi o supermercado escolhido como forma de denunciar os casos de racismo e homofobia registrados em unidades da rede nos últimos anos.

Em agosto de 2020, o funcionário Moisés Santos morreu enquanto trabalhava numa unidade do supermercado Carrefour em Recife. Apesar do óbito, o supermercado continuou funcionando normalmente e o corpo do homem foi apenas encoberto com um guarda-chuva até ser removido.

Já em novembro de 2020, Beto Freitas, um homem negro de 40 anos morreu após ser agredido por seguranças.

Em abril deste ano, a professora Isabel Oliveira, que é negra, ficou apenas de calcinha e sutiã depois de ser perseguida por seguranças dentro de uma unidade do Carrefour em Curitiba.

Como ajudar

Pix: 84996169507

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.