Inmet prevê chuvas intensas em boa parte do RN
Natal, RN 21 de abr 2024

Inmet prevê chuvas intensas em boa parte do RN

27 de fevereiro de 2024
4min
Inmet prevê chuvas intensas em boa parte do RN
Reprodução: Inmet

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de chuvas intensas para quase todo o Rio Grande do Norte entre esta terça-feira (27) e quarta (28). O grau de perigo estima riscos potenciais, com possibilidades de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e descargas elétricas.

O alerta começou a valer das 10h25 desta terça e segue até 10h da quarta. As chuvas podem ser entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia. Já os ventos devem ser intensos, entre 60 e 100 km/h.

No estado, as áreas afetadas serão as regiões central, oeste, agreste e leste potiguar. O Sistema de Monitoramento da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) também vem registrando na última semana de fevereiro chuvas diariamente e em todas as regiões do Rio Grande do Norte. 

Nesta terça-feira (27), no boletim pluviométrico da Emparn, das 9h15  e das 7h15 registrou a ocorrência de chuvas em 84 postos de monitoramento nas últimas 24h. Os municípios da região leste potiguar foram os mais chuvosos — destaques para Nísia Floresta (45mm), Parnamirim (30,2mm) e Goianinha (23,4mm).

Na capital potiguar, o acumulado atingiu 17mm. As chuvas nesta época do ano decorrem da atuação do sistema meteorológico Zona de Convergência Intertropical, segundo explicou o chefe da unidade de Meteorologia da Emparn, Gilmar Bristot.

“Nas últimas semanas observamos a ocorrência de bons volumes de chuvas em todas as regiões do RN confirmando a previsão anunciada do mês de fevereiro com volumes acima da média esperada”, disse. 

“As chuvas deverão continuar com a atuação eficiente da Zona de Convergência sob o estado associado ao aquecimento das águas superficiais do oceano Atlântico que provocam o aumento da umidade, favorecendo a formação de nuvens com chuvas, inclusive com descargas elétricas”, continuou Bristot.

As análises apontam a  previsão de continuidade de chuvas pelo menos até o dia 10 março, “tanto no interior como na faixa litorânea e agreste potiguar”, avaliou o meteorologista. 

Avisos Meteorológicos da Emparn

O Sistema de Monitoramento registra a probabilidade de ocorrência de chuvas acima de 50mm nas regiões do Agreste Potiguar e Seridó Potiguar. 

“Os modelos meteorológicos apontam a possibilidade de ocorrência de chuvas em qualquer momento do dia até o próximo domingo”, disse Bristot.

Em caso de chuvas intensas com incidência de raios, a Defesa Civil do Rio Grande do Norte recomenda não se abrigar debaixo de árvores; não estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda e se possível, retirar os aparelhos elétricos eletrônicos das tomadas e desligar quadro geral de energia, em caso de necessidade de atendimento emergencial, acionar a equipe  pelo número 981201297 e Corpo de Bombeiros 193.

RN gasta mais com resposta do que com prevenção

As águas de março que se aproximam levantam preocupação para possíveis desastres e calamidade pública. A Defesa Civil é o órgão responsável por coordenar e supervisionar as ações de prevenção e preparação para as emergências e desastres, mas tem tido pouco espaço no orçamento do Rio Grande do Norte nos últimos anos.

Em 2024, dos pouco mais de R$ 20 bilhões aprovados para todo o estado por meio da Lei Orçamentária Anual (LOA), a Defesa Civil recebeu uma reserva de apenas R$ 150 mil, sendo R$ 1 mil para prevenção e preparação para emergências e desastres e R$ 149 mil para a Gestão da Defesa Civil, que envolve principalmente ações de respostas rápidas e eficientes de socorro a vítimas na ocorrência de desastres.

Já no ano passado, o estado teve uma receita orçamentária total de R$ 17,9 bilhões. Deste valor, a Defesa Civil recebeu pouco mais de R$ 6 mil: R$ 1,6 mil para preparar as equipes para o trabalho em situações de calamidade e/ou ocorrência de desastres, e mais R$ 4,43 mil para respostas a desastres.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.