RN: Projeto fará cirurgias plásticas de graça em vítimas de violência
Natal, RN 26 de mai 2024

RN: Projeto fará cirurgias plásticas de graça em vítimas de violência

12 de abril de 2024
1min
RN: Projeto fará cirurgias plásticas de graça em vítimas de violência
Foto: divulgação TJMA

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Um projeto vai permitir que pessoas que sofreram violência doméstica e familiar façam cirurgias plásticas reparadoras gratuitamente no Rio Grande do Norte. A ação é uma parceria entre o Tribunal de Justiça do Estado (TJRN) e a Fundação Instituto para o Desenvolvimento do Ensino e Ação Humanitária (IDEAH) da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a partir de um acordo de cooperação técnica.

Chamado de Renascer, o projeto deve beneficiar mulheres, crianças, adolescentes e outros grupos vulneráveis. A ação faz parte das atividades do Núcleo de Cooperação Judiciária (NUCOOP) do TJRN.

Na primeira etapa do projeto, serão levantados junto às Varas da Violência Doméstica, da Infância e Juventude, Criminais e no Tribunal do Júri os processos cujas vítimas de crime ou ato infracional apresentem potencial indicação médica de cirurgia reparadora. 

Feita esta triagem, os Centros Especializados de Atenção às Vítimas de Crimes e Atos Infracionais vão encaminhar à IDEAH para a avaliação médica, que confirmará a possibilidade de realização do procedimento cirúrgico reparador. A Fundação IDEAH será responsável pelo direcionamento à rede privada e ao serviço de cirurgia plástica em unidades hospitalares públicas credenciadas pelo SUS.

"O Projeto Renascer, como o próprio nome indica, é a esperança para essas mulheres que foram violentadas e mutiladas. É um apoio que se dá para que elas possam renascer”, destaca a juíza auxiliar da Vice-Presidência do TJRN, Sulamita Pacheco.

“E para que possa renascer em todas elas a alegria de viver e a dignidade", continua.

Segundo o presidente do Instituto IDEAH, Luciano Chaves, após a busca ativa pelos pacientes, será feito um mutirão onde os médicos avaliarão estes pacientes e solicitarão exames pré-operatórios. 

“A previsão é que as cirurgias sejam realizadas entre 45 e 60 dias após a realização destes exames", explica.

Ainda de acordo com o cirurgião, o primeiro Termo de Cooperação Técnica foi assinado com o Tribunal de Justiça de Goiás. 

"Operamos vários pacientes no TJ de Goiás e ampliamos as parcerias com os Tribunais do Distrito Federal, do Maranhão e Mato Grosso", disse Luciano Chaves.

Integrante da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a Fundação IDEAH é um órgão humanitário de ensino e pesquisa, fundado em 2012, tendo como instituição fiscalizadora curadoria do Ministério Público. Já realizou mais de 7 mil cirurgias plásticas reparadoras em pacientes carentes e mutirões de reconstrução mamária em pacientes mastectomizadas pós câncer de mama, pacientes escalpeladas na região amazônica e pacientes com lábio leporino.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.