“Os olhos beijam antes da boca”
Natal, RN 30 de mai 2024

“Os olhos beijam antes da boca”

4 de maio de 2024
4min
“Os olhos beijam antes da boca”

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

“Os olhos beijam antes da boca” – li isso numa postagem aleatória do Instagram esses dias. Achei bonito. Repostei. E me peguei pensando em quantas vezes isso ocorreu comigo. “Não é que é verdade!!!”

Olhos fazem muita coisa antes. Se aproximam antes, tocam antes, saboreiam antes, tiram nossa roupa antes, também beijam antes… às vezes, muitas vezes… gozam antes…

Talvez seja por isso que sejam tão poderosos os olhos e os olhares. Alguns nos capturam, nos prendem, nos guiam, nos enchem de fogo, nos imprimem desejos. Outros nos metem medo, repulsa, ojeriza, asco… São invasivos demais.

Há olhos que chegam sorrindo, maliciosos, libidinosos, curiosos, famintos, cheios de dúvidas e de quereres. E que, em contrapartida, recebem outros olhos… sorrindo, maliciosos, libidinosos, curiosos, famintos, cheios de dúvidas e quereres. Deu match!!!

Em outras situações o “match” não rola… há olhos que não acolhem outros ou os repelem. Que expressam desdém, deboche, raiva, menosprezo… Olhos não amorosos, não desejosos, não abertos, olhos inquisidores, julgadores e condenadores. Olhos que repudiam e desprezam… Olhos que temem e fogem. Autoproteção neste último caso?! Sim…. Na maioria das vezes.

Mas se voltarmos pra postagem do Instagram… Estamos falando de um tipo específico de olhar… Provavelmente, um “olhar 43, aquele assim, meio de lado, já saindo, indo embora, louco por você”, ou o “olhar 99 salpicado de amor”… Olhar cantado do rock ao axé, da MPB ao carimbó … olhar avassalador, com tesão, paixão, carregado dos melhores sentimentos e dos mistérios da sedução… “Há um que de mistério no olhar dessa flor”

Tô aqui escrevendo a coluna dessa semana ouvindo uma playlist com músicas que trazem esse “olhar” como tema. E a cada letra que se inicia me pego pensando em quantas vezes esse olhar me atingiu. Quantas vezes, meu olhar foi a flecha e não o alvo. Quantas vezes deu “match”… E quantas vezes eu fugi de algum, ou fugiram do meu. Quantas vezes beijei e fui beijada só com um olhar. “E não é que é verdade!!!”

(Trago os cantos da boca emaranhados com sorrisos e lembranças. E a imagem de olhares trocados sendo rememorados aqui me enchem de fogo. Meus olhos também trazem sorrisos e safadezas entrelaçados em seus cantos puxados. Eles brilham enquanto escrevo! Há faíscas pela casa.)

Bom, é isso… acho que agora é hora de abrir um vinho… porque a música que começou a tocar me lembrou de uma cena de vida real passada em que os olhos chegaram primeiro e as bocas se encontraram sedentas demais logo em seguida… Ouço sinos tocando e um dos meus pés já está se levantando, como as mocinhas beijadas nos filmes pelos seus príncipes encantados…

Encerro essa coluna com a letra da música que ouço, pois não ouso descrever a cena para onde ela me levou… “Quando a luz dos olhos meus/ E a luz dos olhos teus/ Resolvem se encontrar, (CHALALALALALÁ)/ Ai que bom que isso é meu Deus,/ Que frio que me dá o encontro desse olhar. (CHALALALALALÁ)/ Mas se a luz dos olhos teus/ Resiste aos olhos meus só pra me provocar,/ Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar.” UUUUI!

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.