Docentes da Ufersa e servidores técnicos da UFRN encerram greve 
Natal, RN 25 de jul 2024

Docentes da Ufersa e servidores técnicos da UFRN encerram greve 

29 de junho de 2024
1min
Docentes da Ufersa e servidores técnicos da UFRN encerram greve 
TON MOLINA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Os professores da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) decidiram em assembleia realizada sexta-feira (28) encerrar a greve dos docentes da instituição, aderindo à saída unificada proposta pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN). Na UFRN, os servidores técnicos administrativos também decidiram pelo fim da greve. Os professores da UFRN já haviam voltado ao trabalho desde 24 de junho.

Após a socialização dos informes na plenária, a proposta aprovada pela maioria dos professores votantes foi para o encerramento da greve, com retorno das atividades já na segunda-feira (1º), como confirmado pela Associação dos Docentes da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Adufersa). 

“Ontem houve assembleia nos quatro campi e decidiu-se pela saída nacional unificada da greve junto com as demais seções sindicais do nosso sindicato nacional. Com volta ao trabalho na segunda-feira. Porém, para o retorno das aulas em si, ainda é necessário que o conselho de ensino, pesquisa e extensão da Ufersa se reúna para restabelecer o calendário letivo”, informou Thiago Arruda, o presidente da Adufersa.

Assembleia dos docentes da Ufersa nesta sexta (28) | foto: redes sociais / Adufersa

Diante disso, a diretoria da associação vai emitir um comunicado oficial à Reitoria comunicando o fim da paralisação. Já a retomada das aulas no campus vai ocorrer  a partir de debate e decisão a respeito do calendário acadêmico pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe). 

A greve dos docentes começou no último dia 10 de junho e, com quase 300 docentes presentes, a decisão pela greve da categoria foi aprovada com mais de 195 favoráveis, 94 contrários e 7 abstenções. Participaram da votação docentes dos quatro campi da Ufersa. A paralisação dos professores foi motivada, principalmente, pela necessidade de avanços nas negociações salariais e na recomposição do orçamento da educação.

Leia também: Professores da Ufersa seguem em greve, na contramão da UFRN e IFRN

Na UFRN, servidores técnicos também encerram greve

Seguindo o Acordo de Greve assinado pela Fasubra, em 27 de junho, os servidores técnicos administrativos da UFRN também decidiram encerrar as paralisações. Oficialmente, a categoria se reunirá na próxima segunda-feira (1º) para aprovar o encerramento da greve e definir uma data para o retorno ao trabalho.

O fim da greve não significa que a mobilização parou. Paralisados desde 14 de março, os servidores ainda possuem reivindicações internas e os servidores continuarão pressionando para que seja cumprida, de fato, todos os termos propostos. Tiago Lincka, membro do Sindicato Estadual dos Trabalhadores em Educação do Ensino Superior do Rio Grande do Norte (Sintest-RN) e representante da comissão da categoria, explicou à Agência Saiba Mais que, embora os avanços na questão salarial não tenham sido interessantes, a categoria conseguiu avançar em muitos pontos: 

“No geral da pauta de reivindicações, a gente conseguiu avançar em muitos pontos. Mas na questão salarial, o avanço não foi tão interessante, principalmente tendo em vista a defasagem salarial de mais de 50%, nós conseguimos arrancar um percentual de apenas 14%. Nesse ponto foi uma luta bem feita, foi uma mobilização muito grande da categoria. Aqui na universidade nós colocamos mais de 400 servidores nas assembleias. Praticamente em todo o país, todas as assembleias, tivemos também com mais de 600 pessoas, coisa que há muito tempo não se via.”, inicia, antes de complementar:

“No momento atual, nós nos encontramos, segunda-feira, e nós teremos a última assembleia de greve, em que a gente vai aprovar pelo encerramento da greve. E a mobilização seguirá constante, vigilante, até porque o acordo de greve foi assinado, mas a gente tem que manter essa mobilização constante para que seja, de fato, cumprido todos os termos que estão no acordo, tendo em vista que só assinar um acordo de greve não nos garante nada.”, completa.

foto: Sintest-RN

Confira alguns pontos do acordo:

  1. Aumento dos Steps por Etapas:
  • Janeiro de 2025: 4,0%
  • Abril de 2026: 4,1%
  1. Progressão por Mérito:
  • Redução do intervalo de 18 para 12 meses.
  • Aceleração da progressão a cada 5 anos.
  • Tempo total para atingir o topo da carreira: 15 anos.
  1. Saberes e Competências (RSC):
  • Implantado a partir de abril de 2026 com criação de Grupo de Trabalho no MEC para regulamentá-lo.
  1. Reajuste Salarial:
  • 9% em janeiro de 2025
  • 5% em abril de 2026
  1. Reestruturação Salarial em 2025:
  • E: piso de 14,5% e teto de 16,8%.
  • D: piso de 19,3% (61% do piso da classe E) e teto de 21,4%.
  • C: piso de 23% (50% do piso da classe E) e teto de 25,1%.
  • B: piso de 19,1% (40% do piso da classe E) e teto de 21,2%.
  • A: piso de 29,8% (36% do piso da classe E) e teto de 32,1%.

Leia também: UFRN: greve dos professores acaba e aulas devem voltar segunda (24)

Servidores dos IFs decidem suspender greve nacionalmente

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.