Famílias da Ocupação Emmanuel Bezerra fazem a própria realocação
Natal, RN 23 de fev 2024

Famílias da Ocupação Emmanuel Bezerra fazem a própria realocação

29 de janeiro de 2024
4min
Famílias da Ocupação Emmanuel Bezerra fazem a própria realocação

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Após três anos reivindicando aos poderes públicos municipal e estadual soluções aos problemas de falta de saneamento básico, altas temperaturas e inundações frequentes, cerca de 60 famílias da Ocupação Emmanuel Bezerra fizeram a própria realocação. Na madrugada desta segunda-feira (29), as famílias ocuparam um prédio público do município, que estava abandonado e sem função social há mais de 12 anos, na avenida Deodoro da Fonseca, em Natal.

O antigo local, um galpão cedido pela Prefeitura no bairro da Ribeira, deveria ser uma solução temporária para abrigar as famílias, mas se revelou inadequado para a moradia digna. Diante das condições insalubres e da falta de medidas adequadas por parte do poder público, as famílias se reuniram em assembleia e decidiram buscar uma alternativa.

O que mais influenciou no processo de tomada dessa decisão foi principalmente a falta de abertura na negociação com o município sobre a situação atual das famílias da Emanuel Bezerra. A gente morava, agora em março, completaria três anos, em um galpão alugado pela prefeitura que não oferecia nenhuma condição de moradia. Além de ser muito quente, ele apresentava vários problemas, como alagamentos, calor, encanamento de água, encanamento de esgoto. Por várias vezes procuramos a prefeitura para tentar negociar uma tentativa de melhoria para as famílias da ocupação, melhoria do prédio, melhoria para as próprias famílias, uma possível realocação e todas as vezes não houve avanço nessa negociação”, explica Bianca Soares, coordenadora estadual do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB).

Para as famílias, a nova ocupação, situada em um espaço abandonado por mais de uma década, representa não apenas uma mudança de endereço, mas também um passo significativo em direção a luta por condições habitacionais mais dignas. Com a participação ativa das próprias famílias, o local está sendo adaptado e revitalizado.

A Prefeitura de Natal chegou a propor às famílias da Ocupação Emmanuel Bezerra o pagamento do Aluguel Social, contudo, o MLB denuncia que a proposta excluía parte das famílias e tem um tempo determinado que não contempla as casas conquistadas no programa Pró-Moradia do governo estadual.

Chegaram a propor o aluguel social que não seria para todos, uma parte ficaria de fora. E aí acabamos não aceitando por excluir uma parte da ocupação e também por não ser uma solução mais definitiva. Uma solução temporária, que apesar das famílias já terem contemplado no pró-moradia, ele está parado. Temos que fazer esse processo de realocação para dar mais dignidade na moradia das famílias. A gente poder morar em um lugar menos quente, várias crianças nossas adoeceram nesse processo de morar nesse galpão quente e todos os outros problemas”, pontua Bianca.

O desafio agora é garantir que o espaço seja adequadamente mantido e que as necessidades básicas de habitação sejam atendidas.

A gente espera que com essa realocação as famílias consigam ter mais tranquilidade na sua moradia e também que a prefeitura sente para negociar com o movimento e o governo do Estado coloque qual a dificuldade de construir para a moradia ou quando ele vai ser construído”, afirma Bianca.

Saiba Mais - Famílias da Ocupação Emmanuel Bezerra sofrem com calor intenso

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.