Morte de professor em Ponta Negra: amigos acreditam em homofobia
Natal, RN 16 de abr 2024

Morte de professor em Ponta Negra: amigos acreditam em homofobia

26 de fevereiro de 2024
3min
Morte de professor em Ponta Negra: amigos acreditam em homofobia

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O professor de História nas redes de ensino municipal de São Gonçalo do Amarante e estadual do Rio Grande do Norte, Árison Rodrigo de Brito, de 38 anos, foi encontrado morto com sinais de violência na madrugada de domingo (25), no calçadão de Ponta Negra, em Natal. Árison era homossexual e, pelas características do assassinato, amigos acreditam ter se tratado de crime de ódio.

A Polícia Civil e o Itep estiveram no local. A polícia confirmou que o corpo tinha lesões, mas somente após conclusão da perícia pode afirmar se o óbito foi consequência de espancamento. “A causa da morte ainda é uma incógnita”, dizem as autoridades policiais.

Amigos e familiares sabem que o jovem esteve no bar Maré Mansa naquela noite. Houve relatos de discussão no estabelecimento, que se pronunciou em perfil no Instagram. A empresa negou qualquer briga do cliente e publicou imagens dele no local e saindo de lá com tranquilidade.

Ele permaneceu no bar por 2 horas e 43 minutos e pagou a conta às 18h45, segundo a comanda também divulgada pelo bar, que se compromete em colaborar com as investigações.

Segundo informações compartilhadas com os amigos, o crime ocorreu por volta da meia noite. Apesar de encontrado no calçadão, a vítima estava cheia de areia, o que mostrou que as agressões ocorreram também na praia.

Pessoas próximas e ele dizem que não era alguém que se irritaria a ponto de ter uma discussão grave em um bar. Disseram ainda que ele estava em um bom momento, voltando de uma viagem de férias e feliz com os estudos. Árison era também mestrando em Ensino de História e cursava Direito na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Velório e sepultamento ocorreram na cidade de Santa Maria.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.