José Reinaldo: América Latina retoma lutas e volta de Lula traz boas perspectivas
Natal, RN 22 de abr 2024

José Reinaldo: América Latina retoma lutas e volta de Lula traz boas perspectivas

2 de junho de 2021
José Reinaldo: América Latina retoma lutas e volta de Lula traz boas perspectivas

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Com altos e baixos, pouco a pouco observa-se uma retomada das lutas e determinadas conquistas na América Latina. A análise é do jornalista e editor do Brasil 247, José Reinaldo Carvalho. Em entrevista ao Balbúrdia nesta terça-feira, 1, o especialista em política internacional apontou os exemplos mais marcantes dos últimos tempos: Bolívia e Chile.

Na Bolívia, Luis Arce, ex-ministro da Economia do governo de Evo Morales, teve uma vitória nas eleições presidenciais de 2020 que marcou a derrubada do golpe da extrema-direita. No Chile, uma grande rebelião resultou primeiro no referendo e agora na eleição para a Assembleia Nacional Constituinte.

A expressiva eleição dos chamados independentes de esquerda e a paridade de gênero foram as grandes marcas das eleições no Chile que escolheram os 155 representantes do povo para redigir uma nova constituição. “Uma grande vitória democrática e popular”, avaliou Carvalho.

Ele destacou, ainda, a rebelião popular na Colômbia, “que é um fato de extrema significância política”. Faz mais de um mês que se realizam manifestações com multidões nas ruas das principais cidades colombianas e uma repressão brutal de um governo de extrema direita.

A revolta começou no dia 28 de abril com uma greve geral motivada inicialmente um projeto de reforma tributária que o governo do presidente Iván Duque enviou ao parlamento, aumentando imposto e tarifas de serviços como água, gás e energia elétrica. Diante da reação, Duque retirou a proposta, mas não bastou para que as pessoas voltassem para suas casas. Colombianos ampliam greve por auxílio emergencial, fim da privatização e do morticínio governamental.

José Reinaldo falou ainda sobre as eleições no Peru. “Temos uma novidade que é a ida do candidato de esquerda, apesar de um partido muito pouco conhecido, que não era considerado entre os principais”. Para Carvalho, foi uma grande surpresa o Pedro Castilho ir para o segundo turno, e agora “tudo pode acontecer”.

Seria muito importante a vitória dele para impedir a eleição da filha de um ex-ditador que está preso por cometer um genocídio político com milhares e milhares de assassinatos”, apontou José Reinaldo Carvalho.

Sindicalista e filho das greves de 2017 do magistério, Pedro Castillo apresenta um programa democrático, nacional e popular, contra a candidatura de extrema-direita em uma de suas variantes na história da América Latina: Keiko Fujimori é filha de Alberto Fujimori, preso neste momento por crimes contra a humanidade.

Carvalho analisa que “há uma retomada das lutas aqui na América Latina. Aqui [no Brasil], mesmo com o governo que está cometendo genocídio, a volta de Lula para o epicentro da política acena para boas perspectivas”.

Ele classifica como promissoras as lutas políticas do povo brasileiro, haja vista as manifestações de ruas realizadas no último dia 29 de maio. “Está recolocada na ordem do dia a retomada da esquerda, das forças democráticas populares ao governo central do país.”

Para ele, “há uma gravíssima crise política e de Governo. Essas movimentações, não sei se vão culminar em um impeachment, mas vão resultar em uma erosão do Governo Bolsonaro”.

Confira entrevista na íntegra.

https://youtu.be/4XD3hqUW6NI
Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.