RN é o 4ª estado com maior número de mortes de jovens no país
Natal, RN 22 de jun 2024

RN é o 4ª estado com maior número de mortes de jovens no país

31 de agosto de 2021
RN é o 4ª estado com maior número de mortes de jovens no país

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Jovens têm maiores chances de serem assassinados no Rio Grande do Norte. Os dados do Atlas da Violência 2021 divulgados nesta terça (31) apontam que o RN é o quarto estado do país com maior número de mortes entre jovens de 15 a 29 anos, independentemente da raça. Em 2019, foram registradas 85,3 óbitos para cada 100 mil habitantes no estado, um número que é bem maior que a média nacional, que ficou em 45,8 mortes para cada 100 mil habitantes.

No Brasil a violência é a principal causa de morte dos jovens. Em 2019, de cada 100 jovens entre 15 e 19 anos que morreram no país por qualquer causa, 39 foram vítimas da violência letal. Entre aqueles que possuíam de 20 a 24, foram 38 vítimas de homicídios a cada 100 óbitos e, entre aqueles de 25 a 29 anos, foram 31. Dos 45.503 homicídios ocorridos no Brasil em 2019, 51,3% vitimaram jovens entre 15 e 29 anos. São 23.327 jovens que morreram prematuramente, em uma média de 64 jovens assassinados por dia no país. Considerando a série histórica dos últimos onze anos (2009-2019), foram 333.330 jovens (15 a 29 anos) vítimas da violência letal no Brasil.

Os pesquisadores também apontaram um elevado aumento de mortes indeterminadas que acabam não entrando para a estatística. Sem levar esses dados em consideração, o levantamento também mostra que, apesar dos índices alarmantes de violência, houve diminuição das taxas de homicídios em todas as regiões do país, com maior intensidade no Nordeste.

A atual política de incentivo ao uso de armas de fogo, o ambiente político conturbado, violência social que também é interpretada como resultado desse ambiente e o aumento da violência no campo, foram apontadas pelos pesquisadores como as maiores preocupações no momento. Eles também lembraram que a politização dos órgãos de segurança Pública e a instabilidade do narcotráfico, que também está ligado com as disputas nos presídios, interferem nos índices de violência.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.