A árvore da discórdia
Natal, RN 2 de mar 2024

A árvore da discórdia

12 de novembro de 2021
A árvore da discórdia

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Já é natal e as pessoas se preparam para emergir o espírito natalino. É bonito caminhar pela cidade e ver a iluminação pública, casas e lojas enfeitadas, as confraternizações com troca de presentes e gentilezas, enfim, viva o natal, viva esse momento mágico do ano que celebra o nascimento de Jesus Cristo, nosso salvador.
Vivemos numa cidade privilegiada que se chama Natal, fundada exatamente no dia 25 de dezembro e que, portanto, carrega consigo a importância de manter a chama desse espírito natalino. Como em várias cidades do mundo, a Prefeitura de Natal incorporou o fim de ano como data festiva, onde usa das atrações artísticas e culturais uma forma de atrair turistas para a ensolarada e bela capital potiguar.
Visando embelezar a cidade nesse fim de ano, a Prefeitura de Natal instala ornamentos que fazem alusão ao natal como forma de tornar a cidade ainda mais bonita. E eis que o que deveria ser mais um ornamento natalino surge como um elemento de discórdia que é uma árvore de Natal instalada justamente em cima de uma ciclovia recém-construída pela própria prefeitura, localizada no bairro de Ponta Negra. O absurdo foi percebido pelos ciclistas que trafegam naquela área e as críticas logo se multiplicaram nas redes sociais.
Os protestos e indignação dos ciclistas foram tão intensos que o senhor Walter Pedro, atual secretário adjunto de Mobilidade Urbana de Natal, se pronunciou. Em um áudio divulgado aos grupos de whatsapp de ciclistas o senhor Pedro diz: “a instalação daquela árvore naquele lugar já estava na programação da prefeitura do Natal em Natal. Aquela rua será fechada para carros e apenas pessoas poderão transitar por ela”. E continua o senhor Pedro, atual secretário adjunto de Mobilidade Urbana de Natal: “Os ciclistas que quiserem trafegar por aquela rua deverão sair da bicicleta e irem andando”.
Fico imaginando que quem definiu colocar a árvore da discórdia naquele lugar desconhece o que é mobilidade ativa. Esse gestor público sabe menos ainda que mobilidade ativa implica também na mobilidade dos ciclistas pelas ruas. O altivo funcionário da Prefeitura de Natal não tem noção da importância que é incentivar a mobilidade ativa, inclusive fechando ruas para o acesso de carro e deixando essas ruas livres para pedestres e ciclistas, a mobilidade peatonal. Falta a esse competente servidor da Prefeitura que planejou colocar a árvore da discórdia em cima de uma ciclovia saber que uma bicicleta a mais implica num carro a menos e assim a mobilidade urbana flui melhor, ajuda o meio ambiente já que a mobilidade ativa através do uso de uma bicicleta é 100% sustentável e torna a cidade mais humana, ou cidadã como diz um letreiro que a própria Prefeitura de Natal colocou a uns 250 metros da árvore da discórdia.
E se a pessoa da Prefeitura de Natal que planejou colocar a árvore da discórdia em cima de uma ciclovia teve a intenção de dar visibilidade para a dita árvore, eu proporia que a tal árvore fosse colocada exatamente na Avenida Roberto Freire, na parte mais alta da avenida. Assim como os ciclistas podem se deslocar por outras ruas já que a árvore da discórdia está exatamente acima da ciclovia, os motoristas também podem desviar suas rotas e se deslocarem por outras ruas que não a Avenida Roberto Freire pois lá estaria uma bela árvore de natal.
Fica a dica, que a árvore da discórdia seja deslocada da ciclovia para a parte mais alta da Avenida Roberto Freire e passe a ser a chamada de a árvore da concordância.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.