ENTREVISTA

Consciência Negra: “discutir o racismo passa por discutir a exploração econômica”, diz Ana Célia Siqueira

O Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, lembra a morte de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares. Em 2021, no próximo sábado, as manifestações que marcam a data se unem ao Fora Bolsonaro, contra o desemprego, em defesa da igualdade racial, da vida, da democracia e do emprego.

“Esse dia 20 não deve parar no Fora Bolsonaro e nas eleições 2022, seja Lula ou qualquer outro candidato, ele tem que ir além. A luta do nosso povo trabalhador, do povo negro, não cabe numa urna. Não adianta discutir as eleições se apresentarmos um programa que continue preservando o capitalismo e garantindo o 0,01% da população mais rica, enquanto o resto vive na miséria. O Fora Bolsonaro é pra colocar pra fora o genocida já e discutir outro projeto para o país”, explicou a entrevistada do Programa Balbúrdia nesta terça-feira (16), Ana Célia Siqueira Ferreira, que integra o Movimento Quilombo, Raça e Classe à nível local e nacional.

Ela explica que “discutir o racismo passa por discutir a exploração econômica tão presente no capitalismo”, afinal “foi a escravização de todo um povo sequestrado da África que fez a grande acumulação de riquezas” e ainda são os negros a mão-de-obra mais barata e explorada. Em síntese: para enfrentar o racismo, é preciso ser mais que antirracista, é preciso ser anticapitalista.

“O nosso maior desafio hoje é sobreviver, porque o racismo no nosso país mata. As pessoas têm sido eliminadas das piores formas. Os números mostram que o povo negro morre pela pandemia, pela violência policial ou pela fome. 45% das pessoas que moram em comunidades, as favelas, estão fora do mercado de trabalho. O movimento tem um desafio muito grande de se organizar para uma transformação, desmistificando as teorias pós-modernas”, completa Ana Célia.

Veja entrevista na íntegra:

Programação do Mês da Consciência Negra em Natal e Mossoró:

▪️12/11 – Cortejo do Folia de Rua Potiguar, 13h30, Concentração na Praça Vermelha

▪️12/11 – Seminário Ogan Nilton pela igualdade racial, 13h30, IFRN Cidade Alta

▪️15 a 20/11 – Semana da Consciência Negra, Uern Mossoró

▪️16 a 20/11 – II Semana da (in) Consciência Negra na Universidade, UFRN

▪️16/11 – Plenária Estadual de mobilização pro ato Fora Bolsonaro, 18h30, online

▪️16/11 – Exposição Essência negra – Retratos de luta, Resistência, Dignidade e amor, 17h30, Memorial Câmara Cascudo – Praça André de Albuquerque, Cidade Alta/ Natal

▪️16 a 19/11 – VII Semana da Consciência Negra – Escurecendo os fatos:encruzilhando vozes e vivências negrejadas ao longo dos tempos, IFRN Oeste Potiguar (Pau Dos Ferros, Apodi, Mossoró, Ipanguaçu)

▪️17 a 19/11 – Semana da Consciência Negra da Biblioteca Escolar Professor Américo de Oliveira Costa, 14h, Bairro Potengi

▪️18/11 – Comenda José Teixeira, 9h, Sinsenat

▪️18/11 – Comenda Zumbi dos Palmares, 18h30, Câmara Municipal de Natal

▪️19/11 – Homenagem ao dia da Consciência Negra – Vidas negras importam, 9h, Auditório da PCRN (Polícia Civil)

▪️19/11 – Cortejo Afro, 15h, Igreja do Rosário até a Praça Padre João Maria

▪️19 e 20/11 – Novembro negro – Vozes das encruzilhadas, IFRN São Gonçalo do Amarante
Inscrições pelo site do IFRN

▪️20/11 – Ato Nacional Fora Bolsonaro, 8h, Praça do Pax/Mossoró

▪️20/11 – Ato nacional Fora Bolsonaro, 15h, Midway/Natal

▪️20/11 – I Akilombar Rocas, 13h, De frente o Racing Esport Club

▪️20/11 – Feira Afro e Étnico-racial, das 9h às 22h, Estação das Artes, Mossoró

▪️20/11 – Balé da Ralé, Japão

▪️22 a 25/11 – I Semana da Consciência Negra, Centro Administrativo de Parnamirim – Auditório Vereador Clênio José dos Santos, das 8h às 12h

▪️23/11 – Audiência pública sobre o enfrentamento ao extermínio da juventude negra, 9h, na Câmara Municipal de Natal

▪️27/11 – Marcha das Periferias – Akilombar as lutas, no bairro Planalto.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais