Mesmo sem acordo, professores da rede municipal suspendem greve em Natal
Natal, RN 17 de jul 2024

Mesmo sem acordo, professores da rede municipal suspendem greve em Natal

29 de abril de 2022
3min
Mesmo sem acordo, professores da rede municipal suspendem greve em Natal

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Os professores da rede municipal de ensino decidiram suspender a greve em Natal durante assembleia da categoria coordenada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/RN), na manhã desta sexta (29).

Apesar da suspensão, a categoria não conseguiu atualizar o piso de 2022, cujo reajuste foi estabelecido em 33,24%. A categoria anunciou que vai se manter em luta pela atualização do Piso, pela melhoria da infraestrutura das escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI’s) e pela realização do concurso público.

A assessoria jurídica do Sindicato vai comunicar a suspensão do movimento grevista à Justiça e buscará, junto ao desembargador Virgílio Macedo Júnior, o agendamento de uma audiência de conciliação com a presença do prefeito Álvaro Dias (PSDB).

Greve

Os professores estavam em greve na rede municipal de ensino desde o dia 28 de março. Na última terça (26), um grupo de professores da rede municipal de ensino de Natal ocupou a sede da Secretaria de Educação da capital potiguar, na tentativa de pressionar a titular da pasta, Cristina Diniz Barreto de Paiva, a abrir negociação com a categoria para o pagamento do reajuste do piso nacional dos professores. Na ocasião, a titular da pasta, Cristina Diniz, se recusou a receber os professores.

Na quarta (27), o desembargador Virgílio Macedo atendeu ao pedido do prefeito Álvaro Dias (PSDB) para uso de força policial contra os profissionais da educação. A decisão também ordenava a suspensão imediata da greve, considerada “ilegal”, e multa diária e individual aos dirigentes sindicais e grevistas. O valor fixado foi de R$ 10 mil, limitado ao teto de R$ 100 mil, sem prejuízos de outras responsabilidades de ordem civil, criminal e administrativa.

A decisão chega a citar os nomes de diretores do Sindicato: Ana Lucélia Chaves, Antônio Marcos de Morais, Artur Luiz de Silva França, Danyelle Rosana Guedes, Ednilma Batista de Medeiros, Elismar Bezerra, Erlon Valério Silva de Araújo, Francisca Lúcia Vale, Francisco Alves Fernandes, Francisco Jailson Soares Dantas, Francivan Lopes Oliveira, Gidália Ferreira de Andrade, Ginalda Pinheiro de Assis dos Anjos, Gustavo Henrique Araújo de França, Inalda Teixeira de Lira, Inalvete Medeiros Lucena, Ionaldo Tomaz da Silva, Isauro Ribeiro Dantas Neto, Jean Carlos da Silva, João Cemário Praxedes Ferreira, José Ekeoma A. dos Santos, José Gilderlei Soares, Josivaldo do Nascimento, Jucyana Myrna Teixeira da Silva Cenzi, Maria de Fátima Costa, Marilanes França de Souza, Marlene Sousa de Moura, Miguel Salustiano de Lima, Nilma Cleide de Oliveira, Simonete Carvalho de Almeida e Thelma Nascimento de Farias Gomes.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.