DEMOCRACIA

Alvo da Justiça, Rogério Marinho questiona estatura moral de Lula

O ex-ministro bolsonarista Rogério Marinho (PL) não gostou das críticas feitas a ele pelo ex-presidente Lula, pré-candidato à presidência da República e líder em todas as pesquisas de opinião até o momento. Durante o discurso no ato “Juntos pelo RN”, Lula classificou de “plágio” a tentativa de Marinho em tomar para si as obras de transposição do rio São Francisco. Os governos do PT foram responsáveis por 88% do canal

– Outro dia eu vi um baixinho, um tal de Marinho, ele é daqui ? Ele é um dos preferidos do Bozo e estava numa televisão pública, aquela TV Brasil. E estava falando que “nós levamos água para o Rio Grande do Norte, para a Paraíba, para Pernambuco”. Desgraçado não quer nem pagar pelo plágio que está fazendo porque todo mundo sabe que quem construiu 88% do canal foi exatamente os governos do PT”, atacou o ex-presidente.

Pelo twitter, Marinho respondeu a Lula dizendo que, para ele, o mais importante é a estatura moral “exatamente o que falta a ele na sua vergonhosa trajetória política”, escreveu.

Rogério Marinho foi relator da reforma trabalhista, que alterou mais de 100 artigos da CLT e é pré-candidato ao Senado na chapa que conta com Fábio Dantas (Solidariedade), ex-vice-governador de Robinson Faria, como pré-candidato ao Governo. A chapa ainda não definiu o vice.

Corrupção, peculato e lavagem de dinheiro

Na postagem, Rogério Marinho não se defendeu dos inquéritos que responde na Justiça. Ele é alvo de pelo menos cinco ações por crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Três dos inquéritos tramitam na Justiça estadual – inq. 3026, inq.4474 e inq. 4484 – e um na Justiça Federal (inq 3386).

Os processos desceram para a Justiça estadual após o ex-ministro perder o foro privilegiado em razão da derrota nas eleições de 2018, quando foi apenas o 12º candidato mais votado para a Câmara Federal, ficando na segunda suplência.

Em junho, o ministro Dias Toffoli decidiu suspender o inquérito em que Rogério Marinho é acusado de contratar funcionários fantasmas na época em que presidiu a Câmara Municipal de Natal. No entanto, a procuradoria-geral da República recorreu da decisão.

Os fantasmas de Rogério Marinho

Saiba quais são os inquéritos abertos contra o pré-candidato ao Senado Rogério Marinho e o que diz cada investigação:

Inquérito 3026

Investiga se houve superfaturamento de obras realizadas na época em que Rogério Marinho foi presidente da Câmara Municipal de Natal

Inquérito 3386

Investiga se existem laranjas nas empresas dele na época Câmara Municipal. Uma dessas empresas, a Preservice, é acusada de coagir funcionários demitidos a renunciar às verbas rescisórias e a devolver a multa do FGTS. Através das fraudes, segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT), a empresa se apropriou ilegalmente de R$ 338 mil devidos a mais de 150 trabalhadores.

Inquérito 4474

Investiga convênios efetuados quando Rogério Marinho era presidente da Federação das Câmaras Municipais do Rio Grande do Norte

Inquérito 4484

Rogério Marinho é acusado de contratar funcionários fantasmas pela Câmara Municipal de Natal, mas que na realidade davam expediente numa clínica particular de propriedade do parlamentar ou na sede da Federação das Câmaras Municipais do RN (Fecam) para atender a interesses de correligionários. O ministro Dias Toffoli autorizou o retorno do processo para o Tribunal de Justiça e o inquérito está sob a responsabilidade do juiz Ivanaldo Bezerra.

Denúncia

O Ministério Público Federal pediu abertura de inquérito contra Rogério Marinho por indícios de crimes praticados na campanha para a prefeitura de Natal em 2012. Segundo a denúncia, há indícios de caixa 2 e de participação de Marinho nos crimes de falsidade ideológica, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O relator deste processo é o ministro Gilmar Mendes.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"