RN terá mais de 10 mil agentes públicos na guarda de urnas e segurança nas eleições 2022
Natal, RN 20 de jul 2024

RN terá mais de 10 mil agentes públicos na guarda de urnas e segurança nas eleições 2022

28 de setembro de 2022
4min
RN terá mais de 10 mil agentes públicos na guarda de urnas e segurança nas eleições 2022

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Durante o 1° turno das eleições deste ano, que ocorre nesse próximo domingo (2), as forças de segurança do Estado estarão presentes em 1.496 locais de votação, distribuídos em 60 zonas eleitorais, que abrangem todos os 167 municípios do Rio Grande do Norte.

Ao todo, mais de dez mil agentes públicos farão a segurança das urnas, locais de votação e eleitores, sendo cerca de 8 mil policiais militares (homens e mulheres). Além deles, também atuarão cerca de 160 bombeiros militares e 1.520 guardas municipais. O esquema de segurança foi montado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed).

A Polícia Civil estará com pleno funcionamento das quatro delegacias de plantão na capital potiguar, sendo duas exclusivas para crimes eleitorais (Zonas Norte e Sul), além de 10 delegacias regionais no interior do estado (São Paulo do Potengi, Mossoró, Caicó, Pau dos Ferros, Macau, Nova Cruz, Patu, Alexandria, Santa Cruz, João Câmara), e outras 17 delegacias municipais (Lajes, Mossoró, Areia Branca, Baraúna, Assú, Caicó, Currais Novos, Parelhas, Jardim de Piranhas, Apodi, São Miguel, Pendências, Canguaretama, Goianinha, Santo Antônio, Tangará e Touros).

A Operação Eleições 2022 será realizada de forma integrada com os municípios, em parceria com as 39 guardas municipais existentes no Rio Grande do Norte, e com instituições federais, através da Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.

Em Natal, a Sesed vai ativar o Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR) durante todo o final de semana para acompanhar, em tempo real, o deslocamento dos efetivos policiais e urnas eleitorais no sábado (1°), além de todo o movimento eleitoral no domingo (2).

Ocorrências

O Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), em Brasília, foi ativado na segunda (26) e já está operando. Entre os impactos na segurança pública que podem ocorrer no dia da votação, estão possíveis crimes eleitorais (boca de urna, transporte ilegal de eleitores, compras de votos, entre outros), manifestações pacíficas e/ou violentas, bloqueio de vias, rixas, ameaças e atentados, temporais e/ou alagamentos e quedas de energias em locais de votação e de apuração dos votos.

A ação conjunta durante o primeiro turno será acompanhada, em tempo real, por representantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), das polícias Civis e Militares, da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, dos Corpos de Bombeiros Militares, do Ministério da Defesa, da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), das Secretarias de Segurança Pública e Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec).

A segurança no processo de votação nas eleições deste ano é coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi). As ocorrências irão alimentar os boletins informativos que serão divulgados a partir das 9h e a cada três horas. Os trabalhos serão monitorados pelo CICCN e pelos Centros Integrados de Comando e Controle Estadual (CICCE).

RN não terá Forças Armadas

O Rio Grande do Norte não convocou as Forças Armadas para as eleições de 2022. Segundo o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RN), desembargador Cornélio Alves, é a primeira vez que a medida ocorre desde a redemocratização, em 1988. A não solicitação das forças armadas se deu porque o Governo do Estado garantiu ao TRE/RN o policiamento durante o pleito somente com o efetivo de segurança estadual.

Para o titular da Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), Coronel Araújo, a mudança acontece porque o Estado contará com o Corpo de Bombeiros e com as Guardas Municipais, que não costumavam ser utilizadas com intensidade nos pleitos anteriores.

Outra mudança é também na atuação das Guardas, que agora fazem parte do sistema de segurança pública dos Estados e podem usar armas e fazer patrulhamento. Já nas 90 cidades que pediram reforço federal, o secretário disse que elas terão um aumento do policiamento ostensivo.

Na última eleição geral, em 2018, mais de 3.200 militares do Exército, da Marinha e da Força Aérea Brasileira atuaram em 97 municípios do Rio Grande do Norte, durante o primeiro turno. Além disso, outros 4 mil agentes da PM foram mobilizados para reforçar a segurança durante o pleito nos 167 municípios potiguares. No segundo turno, foram mobilizados cerca de 2.500 policiais militares para 73 municípios do Estado.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.