Potiguar fica entre finalistas do prêmio “Mude o Mundo Como Uma Menina”
Natal, RN 20 de jun 2024

Potiguar fica entre finalistas do prêmio “Mude o Mundo Como Uma Menina”

6 de dezembro de 2022
3min
Potiguar fica entre finalistas do prêmio “Mude o Mundo Como Uma Menina”

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Manuella, que hoje tem 20 anos, começou seu processo de transição sexual em 2020. As dificuldades que enfrentou durante o período de mudanças, como falta de acesso insumos hormonais e assistência psicológica, foram o gatilho pra que ela buscasse ajuda, também, para outras pessoas.

Com o projeto, criado em parceria com uma amiga que também fez transição, Manuella planejava com hormônio, comida, roupas e assistência psicóloga, outras pessoas que também estavam passando pelo mesmo processo. A dupla chegou a distribuir algum material, mas com o início da pandemia de covid-19, as poucas doações foram se tornando mais escassas.

“A gente chegou até a distribuir um material com a ajuda de amigos e familiares que fizeram doações, mas a coisa foi apertando por causa da pandemia”, lamenta Manuella.

Mas, se o projeto teve dificuldades para continuar de pé aqui em Natal, a iniciativa foi reconhecida pelo prêmio “Mude o Mundo Como Uma Menina”, que premia meninas entre 13 e 21 anos de todo o Brasil que desenvolvem soluções inovadoras e incentiva a participação feminina na ciência.

O prêmio é dividido em cinco categorias: criativa, líder, determinada, pioneira e visionária, além da mobilizadora, disputada apenas por jovens que já foram premiadas anteriormente, e da categoria “Juntas Somos Força”, que premia seis projetos ainda em fases iniciais.

Apesar de não ter levado o prêmio final, divulgado no último sábado (3), Manuella foi uma das cinco finalistas na categoria visionária, que premia meninas com projetos originais.

Manuella prêmio lute como uma menina I Foto: reprodução

No dia fiquei ansiosa, mas por mais que não levasse o prêmio, estava feliz e inspirada por conhecer o trabalho das outras meninas, algumas desenvolvem até projeto junto com a Nasa [National Aeronautics and Space Administration], também conheci outra que foi a primeira se formar no ensino superior na família dela. Na minha família mesmo não tem ninguém formado e isso serve pra mim e pessoas como eu que nós podemos chegar mais longe”, conta a jovem.

Manuella tem cinco irmãos, mas mora sozinha com a mãe que é empregada doméstica e, recentemente, conseguiu financiar uma casa pela Caixa Econômica Federal. A grande preocupação dela e dos irmãos que já saíram de casa, mas sempre que podem dão uma ajudinha, é não atrasar as prestações. Para o futuro, que já bate à porta, Manuella planeja seguir em frente com os estudos, continuar inspirando e encontrar inspiração em outras pessoas pra tentar fazer do mundo um lugar melhor.

Esse ano eu concluí o ensino médio, fiz a prova do Enem e estou esperando o resultado. Quero fazer história, que é um curso que admiro muito ou entrar para a Escola de Música da UFRN, porque toco trombone. Quem sabe, também não entre numa grande instituição de ensino no exterior...”, projeta a jovem para quem a vida, tá só começando.

Manuella prêmio lute como uma menina I Foto: reprodução
Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.