Aventure-se radicalmente neste carnaval
Natal, RN 22 de fev 2024

Aventure-se radicalmente neste carnaval

10 de fevereiro de 2024
6min
Aventure-se radicalmente neste carnaval
Voo de asa delta sobre a serra de Patu. Foto: Reprodução/Blog Olhar Crítico Patu

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Se em vez de sombra e água fresca, a ideia é partir em busca de emoções radicais, o interior do Rio Grande do Norte possui áreas ideais para quem gosta de adrenalina e aventura. Por todo o território, há diversas opções para se praticar atividades ao ar livre, em meio a paisagens naturais incríveis. Ambientes perfeitos para os amantes dos esportes radicais, que vão além do surfe.

Escalada e rapel

Um dos lugares mais frequentados por quem gosta de escaladas é a cidade de Passa e Fica, no Agreste, devido à “Pedra da Boca”. Embora a rocha se localize na Paraíba, sorrir majestosamente para o território potiguar. Atividades como trilhas ecológicas, rapel, escalada, camping e vivências junto à natureza, são algumas possibilidades de lazer e aventura encontradas no lugar.

Arvorismo

Poucos devem saber, mas, uma das praias mais famosas do RN, que atrai surfistas e amantes da natureza – a Praia da Pipa – é também onde mais se pratica o arvorismo. A localidade detém o maior parque de arvorismo do Nordeste, o Pipa Aventura. Situado na praia homônima, o empreendimento oferece tirolesa, caiaque, mergulho e observação de golfinhos. O passeio começa com 11 plataformas, com níveis de dificuldade diferentes, e termina em uma tirolesa de 300 metros.

Voo livre

Quando se trata de vou livre não existe nenhum lugar mais propício no estado que o município de Patu, no Alto Oeste Potiguar. Distante 314 km de Natal, a cidade é apontada pela Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta) como uma das melhores do país para quem deseja experimentar a adrenalina deste esporte em função da excelente estrutura para o voo livre.

Para praticar o voo livre com asa-delta ou parapente, é preciso saltar de um lugar estratégico, com boa altura e segurança, o que a Rampa de Voo Livre de Patu oferta de sobra, por estar a uma altitude de 400 metros acima do nível do mar com um desnível de 330 metros. O acesso à rampa é via o Santuário da Serra do Lima. Para chegar à área de decolagem, é preciso seguir por uma estrada asfaltada até o santuário, que fica no alto da serra, e depois por uma estrada de barro. Radical do início ao fim.

Espeleologia

A Costa Branca é uma área onde o sertão encontra o mar, formando um cenário único de dunas, falésias e salinas. Nesta região litorânea de vilarejos e praias desertas, são comuns os passeios de 4x4, quadriciclo, moto e cavalo. Porém, é adentrando que se chega a redutos de beleza ímpar, as cavernas.  

Cavernas de Furna Feia. Fotos: Assecom-UFERSA

A região de Mossoró concentra um grande número de cavernas, que atraem espeleólogos de todos os cantos. O responsável por isso é o Parque Nacional da Furna Feia, uma unidade de conservação que protege uma importante concentração de cavernas. Essas cavidades naturais, em processo constante de formação há milhares de anos, guardam uma alta diversidade de espeleotemas e garantem o aporte rápido de água para aquíferos em uma região semiárida. Além disso, compõem paisagens de extrema beleza cênica, o que gera um grande potencial turístico.

As cavernas Furna Feia e Furna Nova são os principais atrativos turísticos da unidade de conservação. A Furna Feia, que deu origem ao nome do parque, é a maior caverna do complexo, com 739 metros de desenvolvimento e é considerada um hotspot para espécies de morcegos. Já a Furna Nova, a segunda maior caverna da UC, apresenta até o momento 250 metros mapeados e possui espeleotemas únicos, como a maior cortina do Estado e o maior ninho de pérolas. Além dessas, existem outras cavidades com singularidades únicas, como o Lajedo em Pé, a caverna da Pedra Lisa/Troglobento e o Abrigo do Letreiro, um sítio arqueológico com pinturas rupestres.

Estalactite em caverna de Furna Feia. Fotos: Assecom-UFERSA

Entre as normativas para adentrar à unidade, destacam-se a proibição do consumo de alimentos e bebidas alcoólicas no interior das cavernas, e é necessário o acompanhamento de monitores autorizados. Esse parque é um patrimônio natural protegido, que preserva o complexo espeleológico da Furna Feia e a biodiversidade associada ao bioma Caatinga.

Geoparque

A região do Seridó também resguarda importantes formações geológicas do sertão potiguar, que guarda tesouros históricos e culturais. Nesse perímetro está o território do Geoparque Seridó, considerado pela UNESCO patrimônio geológico e cultural de interesse e relevância mundiais. A área tem pinturas rupestres, cânions e cachoeiras.

Se a ideia for partir em busca de emoções radicais, o interior do Rio Grande do Norte possui áreas ideais para quem gosta de adrenalina e aventura.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.