Aumento de chuvas no RN reduziu áreas de seca no estado
Natal, RN 24 de mai 2024

Aumento de chuvas no RN reduziu áreas de seca no estado

2 de maio de 2024
5min
Aumento de chuvas no RN reduziu áreas de seca no estado
Elisa Elsie/governo do RN

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

As chuvas acima da média ao longo de 2023 e nos primeiros meses de 2024 reduziram as áreas de secas em todo o estado do Rio Grande do Norte. Atualmente, apenas 8, dos 167 municípios potiguares, estão classificados dentro do fenômeno da seca, na categoria fraca da condição.

Segundo dados mais recentes do Monitor de Secas, que é coordenado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e referentes ao mês de março de 2024, os municípios afetados pela condição são: Paraná, Major Sales, Luís Gomes, Riacho de Santana, Coronel João Pessoa, Venha-Ver e São Miguel, todos localizados na região do Alto Oeste Potiguar.

Segundo o Monitor, a seca fraca é aquela condição em que a umidade da região baixa fora do normal, podendo virar áreas de secas aumentando o grau da severidade. Também é importante mencionar que, as previsões da Empresa de Pesquisa Agropecuária (Emparn) indicam uma seca branda para os próximos meses de 2024, considerando as condições climáticas atuais. 

Situação da seca nos três primeiros meses de 2024 no Rio Grande do Norte — Foto: Reprodução

"Analisando o mês de março em anos anteriores, observou-se que pela primeira vez em seis anos, o Rio Grande do Norte está praticamente sem seca graças à melhoria nos indicadores de precipitação, o que resultou no recuo da seca fraca em praticamente todo o estado", apontou Josemir Neves, Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte, responsável pela coordenação da validação do monitor no âmbito do estado.

De acordo com dados meteorológicos do Instituto, o planeta está passando por uma transição climática, e com o enfraquecimento gradual do fenômeno El Niño, que poderá resultar no La Niña, que acontece quando as águas superficiais do Oceano Pacífico resfriam, essa mudança climática tende a aumentar o volume de chuvas no estado potiguar.

Também é importante mencionar que, segundo um levantamento da Associação de Pesquisa Iyaleta, que é Observadora Membro da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), o RN foi o estado do Nordeste com mais vítimas da seca extrema entre 2003 e 2021. 

No RN, os dados revelaram que o número de vítimas da seca extrema aumentou abruptamente na transição entre o ano de 2019, com 313 vítimas para cada 100 mil habitantes, para 2020, quando o número de vítimas subiu para 2.427/ 100 mil habitantes.

Leia a reportagem completa aqui

Chuvas no RN enchem reservatórios do estado 

Em 2023, as chuvas no estado ficaram 9,2% acima da média esperada, já os primeiros dois meses de 2024, janeiro e fevereiro, registraram volumes acima da média em 29,4% e 48,1%, respectivamente. Além disso, nos primeiros 15 dias de abril, choveu 70% da média do esperado para todo o mês, como apontou o Sistema de Monitoramento da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn).

O Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn) monitora 63 reservatórios em todo o RN, dos quais 22 estão com capacidade máxima. De acordo com o último relatório dos volumes divulgado pelo instituto, os  mananciais monitorados que tem capacidades superiores a 5 milhões de metros cúbicos, permanecem com 100% da sua capacidade. Alguns deles são: Mendubim, em Assu; Marechal Dutra (Gargalheiras), em Acari; Trairi, em Tangará; Campo Grande, em São Paulo do Potengi; Pataxó, em Ipanguaçu; Dourado, Currais Novos; Apanha Peixe, em Caraúbas; o açude público de Riacho da Cruz; Santo Antônio de Caraúbas, em Caraúbas; Passagem, em Rodolfo Fernandes; Beldroega, em Paraú; Malhada Vermelha, em Severiano Melo; e o açude público de Encanto. 

A sangria do Gargalheiras, inclusive, não acontecia há 13 anos e foi motivo de comemoração e vigílias pelos sertanejos. 

Algumas barragens permanecem com mais de 80% da sua capacidade total, são elas: a barragem Armando Ribeiro Gonçalves acumula; a barragem Santa Cruz do Apodi, segundo maior manancial do RN; A barragem Umari, em Upanema. 

Outros mananciais monitorados que permanecem sangrando, são: Riachão, em Rodolfo Fernandes; Pinga, em Cerro Corá; Tesoura, em Francisco Dantas; Dinamarca, em Serra Negra do Norte; Sossego, em Rodolfo Fernandes; e Francisco Cardoso (Mulungu), em Currais Novos.  

Já os reservatórios que estão com mais de 90% da sua capacidade total, são: o açude público de Cruzeta, que está com 92%; Gangorra, em Rafael Fernandes, com 95,80%; e Morcego, em Campo Grande, com 97%. 

Alguns açudes, que já sangraram nesta quadra chuvosa, mas permanecem próximos da sua capacidade máxima, são os de Santa Cruz do Trairi, que está com 97%; Novo Angicos, com 98,87%; Curraes, em Itaú, com 99,92% e o açude público de Currais Novos, que acumula 99% da sua capacidade total. 

Leia também:

Gargalheiras: Andinho, o pescador que viralizou à espera da sangria

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.