Sindicato dos Petroleiros do RN cobra responsabilidade social da Petrobras em tempos de pandemia
Natal, RN 13 de jun 2024

Sindicato dos Petroleiros do RN cobra responsabilidade social da Petrobras em tempos de pandemia

2 de abril de 2020
Sindicato dos Petroleiros do RN cobra responsabilidade social da Petrobras em tempos de pandemia

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Por Gilson Sá, especial para a agência Saiba Mais

O papel de estatal e a responsabilidade social da Petrobras nos municípios onde a empresa exerce atividades de exploração foi cobrada pelo Sindicato do Petroleiros do Rio Grande do Norte. Em documento protocolado nesta quarta-feira (01), a entidade cobra medidas de proteção aos trabalhadores próprios e terceirizados no combate à Covid 19.

Divulgada como carta aberta à sociedade, a iniciativa solicita o resgate de programas sociais extintos e a aplicação de novas ações de auxílio às comunidades e locais onde ela atua em meio à crise mundial gerada pelo coronavírus. A preocupação é com o sustento de uma cadeira produtora que suporta uma parcela importante de trabalhadores e famílias.

Sob orientação do governo de Jair Bolsonaro, a atual gestão da Petrobras vem concentrando as suas atividades na região Sudeste, com forte desinvestimento nos estados do Rio Grande do Norte e Ceará, onde se concentram os campos de exploração terrestres.

Desde 2016, o Sindicato tem feito denúncias sobre trabalhadores próprios que estão sendo transferidos ou dispensados, no caso dos terceirizados das sondas que estão sendo hibernadas, acusando a empresa de manobra privatista.

Sobretudo neste momento de crise mundial em que se agrava as dificuldades financeiras do estado, o Sindipetro RN solicita a abertura de diálogo com as entidades sindicais representativas dos trabalhadores do setor estatal e privado, para assegurar os postos de trabalho, entre outras medidas.

Na contramão disso tudo, a Petrobras anunciou nesta quarta, medidas que passaram a vigorar a partir do seu anúncio, e que afetam a categoria como um todo, sem que tenha acontecido qualquer negociação com os sindicatos registrados. As mediadas anunciadas afetam principalmente os trabalhadores sem função e privilegiam os acionistas.

O Sindipetro-RN denuncia ainda o descumprimento sistemático do último acordo coletivo aprovado pela categoria e reconhecido por instâncias superiores do trabalho, com a diminuição significativa de atividades nas cidades produtoras, que ficaram sem o suporte financeiro dos royalties.

Leia aqui o documento entrregue à Petrobras.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.