Assistentes sociais pedem inclusão da categoria em grupo prioritário de vacinação contra covid-19
Natal, RN 22 de abr 2024

Assistentes sociais pedem inclusão da categoria em grupo prioritário de vacinação contra covid-19

28 de janeiro de 2021
Assistentes sociais pedem inclusão da categoria em grupo prioritário de vacinação contra covid-19

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A direção do Conselho Regional de Serviço Social do Rio Grande do Norte reclama que nem todas as assistentes sociais que atuam em hospitais e na rede de assistência básica à saúde estão sendo imunizadas contra a covid-19. Além disso, profissionais que trabalham nas unidades do CRAS (Centro de Referência da Assistência Social) e CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), não estão contemplados no grupo prioritário. A solicitação para que as profissionais sejam inclusas no processo de imunização foi encaminha tanto à Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), quanto à Secretaria Municipal de Saúde de Natal.

Nós atendemos diretamente os usuários e usuárias fazendo visita nos leitos, circulando nas áreas de contaminação e convivendo no mesmo espaço que outros profissionais. Muitas das categorias, embora estejam lidando com aerossóis, têm acesso aos EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) completos pra realizar seus procedimentos, diferentemente dos profissionais da assistência social que, na maioria dos espaços de trabalho, não conseguiu ter acesso nem à máscara n-95. Muitas estão até sem sala para trabalhar, tendo que dividir com outras categorias esses espaços, o que inviabiliza a adoção de medidas de distanciamento adequado”, critica Angely Cunha, presidenta do Conselho Regional de Serviço Social do RN (CRESS-RN).

A direção do Conselho de Assistência Social lembra que as pesquisas mostram que a contaminação pelo novo coronavírus pode acontecer de forma direta ou cruzada e que nem toda a categoria está tendo acesso à vacina, mesmo dividindo o mesmo espaço de trabalho com outros profissionais da saúde.

"Perdemos muitas profissionais que arriscaram suas vidas e dos seus familiares para buscar a viabilização do direito da população, mesmo tendo seus direitos negados, mesmo estando em espaços insalubres”, relata Angely Cunha, presidenta do Conselho Regional de Serviço Social do RN (CRESS-RN).

“Na política de assistência social muitas dessas profissionais estiveram na linha de frente orientando e tendo contato com pessoas que solicitaram o auxílio-emergência e até mesmo o auxílio-funerário. Muitos desses usuários se contaminaram, mas estavam assintomáticos e tiveram contato direto com as assistentes sociais para terem seus direitos viabilizados. Perdemos muitas profissionais que arriscaram suas vidas e dos seus familiares para buscar a viabilização do direito da população, mesmo tendo seus direitos negados, mesmo estando em espaços insalubres”, relata Angely.

A reinvindicação do CRESS é para que todas as assistentes sociais sejam inclusas no processo de vacinação já que elas fazem visitas domiciliares e trabalho em grupo. O Conselho também argumenta que a Lei Federal nº 14.023/2020 coloca o serviço social como profissionais na linha de frente.

Atualmente, o Rio Grande do Norte tem um total de 4.032 assistentes sociais. A direção do CRESS denuncia que há casos de contaminação entre as profissionais e denúncias de falta de condições de trabalho que tem intensificado essa contaminação.

As profissionais já foram orientadas a denunciar junto ao Ministério Público do Trabalho, haja vista que há uma decisão do STF que considera esses casos como acidente de trabalho. Estamos recebendo várias denúncias por parte das profissionais que foram contaminadas e a falta de protocolo de trabalho. Ademais, também tivemos óbitos de assistentes sociais em decorrência das complicações causadas pelo coronavírus”, orienta a presidenta do CRESS/RN.

Angely Cunha ressalta, ainda, que a distribuição da vacina na maioria dos municípios tem seguido um fortalecimento da desigualdade entre as categorias profissionais que atuam nos mesmos serviços e estão correndo riscos de contaminação direta ou cruzada, por falta de condições de trabalho.

Uma preocupação partilhada, também, pelo Conselho Municipal de Saúde (CMS) que em reunião plenária realizada na última quarta (26) definiu uma série de recomendações que deveriam ser adotadas pela Prefeitura de Natal, como a ampliação das categorias que atuam nas mais diversas atividades dentro da área da saúde. Outra solicitação do CMS é que imunização para combate à covid-19 seja realizada nas próprias unidades de saúde onde esses profissionais atuam e que seja desfeito o sistema drive thru, adotado pela capital.

Outros profissionais também pedem inclusão em grupo prioritário

Além das assistentes sociais, o sindicato que representa os profissionais da limpeza e segurança privada também solicitaram à Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), a inclusão desses profissionais no grupo prioritário de imunização contra a covid-19. O argumento é de que esses trabalhadores também atuam em unidades hospitalares com risco acentuado de contaminação.

Fotos: Assistentes Sociais que atuam em algumas unidades de saúde sendo imunizadas I Imagens: cedidas
Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.