TRANSPARÊNCIA

Linha circular da UFRN deixa de ser gratuita e estudantes marcam protesto na sede da STTU

A linha circular que voltou a funcionar nesta quarta (1) dentro do Campus Central da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal (RN), não é mais gratuita. Muitos passageiros foram pegos de surpresa hoje ao entrar no veículo e descobrir que o transporte dentro do campus estava sendo pago. O valor cobrado é de R$ 3,20 a inteira e R$ 1,60 para quem tem direito à meia passagem.

“Recebemos a informação de que isso poderia acontecer ontem à noite, mas só foi confirmado hoje pela manhã quando o pessoal foi pegar o ônibus. Já tínhamos ocupado a sede da STTU no início do ano cobrando a volta da meia passagem para os estudantes que Álvaro Dias [prefeito de Natal] tirou com a justificativa da pandemia e agora tem essa”, critica Lorran Silva, Coordenador Geral do Diretório Central dos Estudantes (DCR/ UFRN).

O circular da UFRN foi suspenso com o início das aulas remotas da Universidade, no segundo semestre de 2020. Deste então, os ônibus que faziam o transporte dos estudantes, gratuitamente, não voltaram mais a circular. Por causa da cobrança de passagem na nova linha, chamada de “alimentador” pela Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), os estudantes convocaram uma manifestação para a manhã desta quinta (2), às 10h, na sede da STTU, no bairro da Ribeira. Além disso, a direção do DCE orienta que os usuários do circular pulem a catraca em sinal de protesto pela cobrança da passagem.

“O circular era gratuito! No mês passado a Prefeitura [de Natal] fez uma proposta para retomada do serviço, mas em canto nenhum estava escrito que ele seria pago! Já fizemos uma convocatória de um ato para amanhã [quarta], às 10h, em frente à STTU, além de atos de pula roleta. Também vamos atrás de um posicionamento da Reitoria, que em outras ocasiões já disse que isso era de responsabilidade da Prefeitura”, detalha Lorran.

A Agência Saiba Mais entrou em contato com a STTU para saber sobre a cobrança de passagem no circular, mas nossas mensagens não foram respondidas, nem as ligações atendidas.

Quem precisa transitar pelo campus hoje está tendo que fazer isso a pé. Durante o dia é esse sol e à noite fica perigoso porque há muitos trechos escuros, a Universidade está apagando as luzes em algumas partes. Até para pegar Uber é complicado em alguns trechos, porque há áreas do campus fechadas para a circulação de veículos”, conta Lorran que, além de Coordenador Geral do DCE da UFRN, também é residente universitário.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo