DEMOCRACIA

Bolsonarismo: funcionárias da Caixa denunciam presidente do banco por assédio sexual

Pedro Guimarães e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução/YouTube)

Existem há algum tempo dentro da Caixa Econômica Federal (CEF) relatos de que o presidente da instituição, Pedro Guimarães, coleciona episódios de assédio sexual. Funcionária do banco, Ana afirma que, a depender da proximidade dele com algumas das mulheres, o dirigente passa a se sentir “dono” delas.

“É comum ele pegar na cintura, pegar no pescoço. Já aconteceu comigo e com várias colegas. Ele trata as mulheres que estão perto como se fossem dele”.

Os relatos foram publicados nesta terça-feira (28) em reportagem dos jornalistas Rodrigo Rangel, Fabio Leite e Jeniffer Gularte, no portal Metrópoles.

De acordo com Valéria, outra funcionária, o gabinete de Guimarães é que escolhe as mulheres para as comitivas dele nas viagens do programa Caixa Mais Brasil e o critério da seleção é definido conforme as preferências do presidente.

“Mulher bonita é sempre escolhida para viajar”. Ele convida para as viagens as mulheres que acha interessantes”, afirmou.

Cristina, outra funcionária, disse que, em uma viagem, duas funcionárias da equipe foram chamadas para ir à piscina do hotel encontrar Guimarães. Segundo ela, depois uma das mulheres ouviu uma proposta indecente, feita por uma pessoa bem próxima a Guimarães.

“E se o presidente quiser transar com você?”.

Em nota, a Caixa disse que “não tem conhecimento das denúncias apresentadas pelo veículo”. “A Caixa esclarece que adota medidas de eliminação de condutas relacionadas a qualquer tipo de assédio”. “A Caixa possui, ainda, a cartilha ‘Promovendo um Ambiente de Trabalho Saudável’, que visa contribuir para a prevenção do assédio de forma ampla, com conteúdo informativo sobre esse tipo de prática, auxiliando na conscientização, reflexão, prevenção e promoção de um ambiente de trabalho saudável”.

Aliados de Bolsonaro dizem que presidente da Caixa deve deixar o cargo já nesta quarta

O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães, deve deixar o cargo nesta quarta-feira (28), de acordo com assessores de Jair Bolsonaro (PL). A informação foi publicada nesta terça-feira (28) pela coluna de Lauro Jardim, no jornal O Globo. O governo decidiu pela demissão nesta terça. Guimarães pedirá para deixar o cargo, com o objetivo de cuidar de sua defesa.

Bolsonaro disse ao presidente da Caixa que denúncias de assédio sexual são ‘inadmissíveis’, segundo aliados

Jair Bolsonaro teria dito a Pedro Guimarães que as denúncias de assédio sexual feitas por servidoras da Caixa Econômica Federal contra o presidente do banco público são “inadmissíveis”, segundo relato de interlocutores ao jornal O Globo.

No encontro, Guimarães teria dito que vai “se defender na Justiça”. Ele deve deixar o cargo já nesta quarta-feira, 28, segundo o jornalista Lauro Jardim, do mesmo jornal.

Para dois ministros e um auxiliar do chefe de governo ouvidos pela colunista Bela Megale, do mesmo jornal, a situação de Guimarães é “insustentável” e sua saída se faz necessária para “poupar” mais desgastes a Bolsonaro.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo