Terminal das Rocas abandonado por cinco linhas do Seturn foi reformado no ano passado
Natal, RN 25 de jun 2024

Terminal das Rocas abandonado por cinco linhas do Seturn foi reformado no ano passado

5 de abril de 2023
4min
Terminal das Rocas abandonado por cinco linhas do Seturn foi reformado no ano passado

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O Terminal das Rocas, de onde o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos (SETURN) retirou as linhas 46, 51, 52, 54e56, havia sido reformado há pouco tempo pela Prefeitura de Natal.

De acordo com o registro do município, a reforma estava 90% concluída em agosto do ano passado. A obra contemplava os serviços de pintura, adequação nas instalações elétricas, hidrossanitárias, acessibilidade e revisão da cobertura.

Ao todo, a Prefeitura de Natal tinha investido R$ 256.701,00 na melhora do Terminal. O prazo da reforma era de 120 dias, com previsão de entrega para primeira quinzena de setembro de 2022. Porém, nós não encontramos a data precisa de conclusão dos trabalhos no site ou redes sociais da Prefeitura de Natal. A Agência Saiba Mais também entrou em contato com a Secretaria de Mobilidade Urbana da capital (STTU), que não atendeu nossas ligações, nem respondeu nossas mensagens.

De acordo com os técnicos do Setrurn, sindicato que representa os empresários do setor, o bairro das Rocas vai continuar com oferta de ônibus adequada com as linhas 25, 33, 35, 37, 38, 43, 59, 75 e 84, que fazem cerca de 300 viagens em dias úteis.

No entanto, os moradores reclamam que estão sendo obrigados a percorrer longas distâncias a pé por falta de transporte público, o que se agrava no horário da noite. Estudantes universitários denunciam que estão descendo na Avenida Rio Branco, no bairro vizinho da Cidade Alta, e descendo a pé para as Rocas, por falta de ônibus para completar o trajeto.

Terminal das Rocas durante execução da reforma I Foto: STTU
Terminal das Rocas durante execução da reforma I Foto: STTU

Os empresários do setor, que chegaram a alegar insegurança para tentar justificar a retirada das linhas, dizem que o grande problema é econômica, com a queda no número de passageiros.

"Agora em maio, nós teremos o reajuste dos motoristas, teremos também o aumento do óleo diesel e a prefeitura se recusa a tornar público quanto custa o serviço de transporte, desde 2019 se utiliza a mesma planilha de custos quando sabemos que houve redução de demanda e aumento de custos. O município contratou um estudo para ajustar a rede e calcular o custo do serviço. E não divulga os dados desse estudo, nem muito menos lança o edital de licitação. Se a prefeitura não trouxer esse custo para o debate público, haverá um risco de colapso, porque já dissemos, e a prefeitura sabe disso internamente, que o custo do serviço é muito superior ao que se arrecada. Esse processo de falência é lento e gradual, não ocorre da noite para o dia, vem ocorrendo há anos, pois desde 2010 se aguarda a realização da licitação", aponta Augusto Maranhão Filho, coordenador jurídico do Seturn.

Cerca de 40 mil pessoas devem ser prejudicas com a retirada das linhas 46, 51, 52, 54 e 56, de acordo com o vereador Eribaldo Medeiros, que tentou intermediar um acordo junto com o deputado estadual Ubaldo Fernandes, na reunião entre a STTU, o Seturn e moradores das Rocas, na manhã desta terça (04), quando foi discutidas a perda das linhas para os moradores do bairro.

Saiba +

Empresas de ônibus em Natal vão retirar cinco linhas de circulação no bairro das Rocas

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.