Pipa é principal destino no RN, mas impactos de grandes empreendimentos no turismo não são monitorados
Natal, RN 24 de abr 2024

Pipa é principal destino no RN, mas impactos de grandes empreendimentos no turismo não são monitorados

22 de agosto de 2023
4min
Pipa é principal destino no RN, mas impactos de grandes empreendimentos no turismo não são monitorados

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Não existe monitoramento de eventuais consequências da instalação de grandes condomínios para o turismo em Pipa, Tibau do Sul, embora a praia seja o destino mais procurado do Rio Grande do Norte. De acordo com o Sistema Potiguar de Inteligência Turística (Sírio), pesquisa realizada entre janeiro e julho de 2023 perguntou quais atrativos foram visitados ou estava nos planos dos turistas. Depois de Pipa aparecem Ponta Negra, Genipabu, Cajueiro de Pirangi e São Miguel do Gostoso.

A Secretaria de Estado do Turismo do Rio Grande do Norte (Setur) foi questionada se acompanha licenças de obras em pontos turísticos e o impacto dos empreendimentos no setor; também qual o impacto de obras, como a do condomínio Pipa Island Resort - GAV, no Chapadão, na paisagem e como isso vai repercutir no turismo e, portanto, na economia. A Agência Saiba Mais perguntou ainda se a Setur mapeia pontos naturais que sofrem degradação e precisam de intervenção.

A pasta alega não ter competência técnica e jurídica para tal, tendo em vista que existem órgãos competentes para a função e cita prefeituras, por meio das suas secretarias de meio ambiente; Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema), na estado; e Ibama, na esfera federal; assim como Defesa Civil que também atua nessa temática.

A Prefeitura de Tibau do Sul respondeu que:

Durante o processo de Licenciamento Urbanístico a Prefeitura por intermédio da Secretaria de Meio Ambiente, Urbanismo e Mobilidade Urbana (Semurbmo) solicita o Estudo de Impacto a Vizinhança (EIV) e o Relatório de Impacto ao Trânsito (Ritur), de modo que de acordo com os estudos apresentados a implantação do Empreendimento não causará impactos que prejudicariam o fluxo existente da área de influência.

Enfatiza-se que os estudos solicitados possuem subsídio nas Leis Municipais que abordam diretrizes como: Uso e ocupação do solo, potencial construtivo, mobilidade urbana, cronograma de implantação, entre outros dispositivos que estão diretamente correlacionados ao Plano Diretor Municipal, Código de Obras e Código de Meio Ambiente de Tibau do Sul.

Ente licenciador

O Idema explicou que o acompanhamento sobre o turismo deve ser feito não pelo ente licenciador, mas, a princípio, pelo município, que inicia a trajetória da licença para construção de empreendimento, com a certidão de uso e ocupação do solo. Por meio desse documento, a administração pública atesta potenciais usos de determinado imóvel à luz da legislação urbanística, apontando atividades que podem ser desenvolvidas no local.

Em posse dessa certidão, o Idema dá seguimento à tramitação do processo de licença ambiental, seguindo o que está na lei. Em julho, o órgão se pronunciou sobre o condomínio de luxo no Chapadão da seguinte forma:

O Idema esclarece que o empreendimento Gav Resorts possui licença de instalação concedida em julho de 2022 e vigente até 2025. E que de acordo com o projeto apresentado e aprovado a viabilidade ambiental pelo Idema, aponta que o empreendedor não ocupará a Área de Preservação Permanente, livrando o que está estabelecido em lei, ou seja o recuo de 100 metros da borda da falésia. E ressalta que enviará uma equipe de Fiscalização ao local para averiguar o cumprimento das condicionantes impostas pelo licenciamento em vigência.

Diálogo

Na segunda-feira (21), a Prefeitura de Tibau do Sul convocou audiência pública com o tema “Apresentação do Processo do Empreendimento da GAV Pipa Beach Empreendimentos”, na Câmara Municipal. O projeto é alvo de críticas e manifestações de nativos. O Idema marcou presença com o coordenador de Meio Ambiente, Jozivan Nascimento, além de técnicos do Núcleo de Construção Civil, Gerenciamento Costeiro e Gestão do Parque Mata da Pipa.

SAIBA MAIS:

Grandes empreendimentos em Pipa são risco para tartarugas ameaçadas de extinção, alerta especialista

Ibama se isenta de responsabilidade em obra no Chapadão de Pipa

Tibauenses realizam nova caminhada em defesa do Chapadão de Pipa

Chapadão de Pipa: quilombolas reivindicam consulta à comunidade sobre obra

Chapadão de Pipa: empresa responsável por obra de condomínio é alvo de mais de 800 denúncias em seis meses

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.