Funcionários do Bradesco fazem greve em Natal contra precarização
Natal, RN 2 de mar 2024

Funcionários do Bradesco fazem greve em Natal contra precarização

5 de dezembro de 2023
3min
Funcionários do Bradesco fazem greve em Natal contra precarização
Fotos: Seeb-RN

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Os funcionários das agências do Banco Bradesco localizadas nos bairros do Alecrim e Ponta Negra, em Natal, estão greve por tempo indeterminado desde a sexta-feira (1º), em resposta a mudanças feitas também nesse dia.

A empresa decidiu transformar essas agências em unidades de negócios, com a retirada de caixas para transações em dinheiros, vigilantes e portas giratórios, restando apenas terminais eletrônicos.

Para o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários do Rio Grande do Norte (Seeb-RN), a reestruturação proposta pelo Bradesco terá impacto negativo direto no atendimento aos clientes dessas regiões e na segurança de todos. Aqueles que precisarem realizar depósitos ou saques com valores mais altos serão obrigados a se deslocar para agências no Centro da cidade, zona Norte ou avenida Prudente de Morais.


O Sindicato ressalta que a mudança não é só um inconveniente para os clientes, mas também sobrecarregará as agências designadas para absorver essa demanda adicional, prejudicando a qualidade do serviço oferecido. O Sindicato dos Vigilantes do Rio Grande do Norte (Sindsegur) também se soma à luta.

“Eles estão criando umas agências que são lojas de produtos financeiros. Do jeito que tem uma loja de roupa, de sapato, agora os bancos estão chamando de lojas. Os terminais de caixas eletrônicos eles terceirizaram o serviço para uma empresa de transportadora de dinheiro carro forte”, explica o dirigente do Seeb-RN Juvêncio Hemetério.  


“O que a gente questiona é se o Bradesco não pode pagar vigilantes, até porque os clientes estão agressivos muito por culpa dos bancos que deixam os clientes esperando por horas em filas. Quando chega a vez dele, ele já tá cansado, estressado, com fome e agride verbal ou fisicamente os bancários. Isso tem crescido bastante”, diz Juvêncio, ao lembrar que o banco lucrou mais de 20 bilhões de reais em 2022. “Uma farmácia, um supermercado, paga segurança em função do aumento da violência, mas o Bradesco tá na contramão, tirando os vigilantes. Inclusive os três já estão demitidos”, completa.

Juvêncio prevê sobrecarga de atendimentos nas demais agências, lembrando que o Bradesco tem conta do INSS e pelo menos o primeiro mês de todas as aposentadorias no estado são pagas em unidades da financeira – alta demanda.


Assim, a greve é um apelo dos trabalhadores do Bradesco pela preservação dos empregos, por condições de trabalho dignas e pela proteção dos direitos dos clientes: “Nossa luta é também para o velhinho ser atendido com dignidade. O Estatuto do Idoso é descumprido dentro dos bancos todo dia. Velhinho fica em pé uma hora esperando pra ser atendido é desrespeito."

“Ninguém fez contato com a gente. Só no primeiro dia o ‘relações sindicais’ disse que era uma decisão da matriz e não tinha o que fazer. A greve segue por tempo indeterminado”, conclui o dirigente do sindicato.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.