Servidores buscam negociação e governo do RN explica desafios fiscais
Natal, RN 26 de fev 2024

Servidores buscam negociação e governo do RN explica desafios fiscais

5 de dezembro de 2023
2min
Servidores buscam negociação e governo do RN explica desafios fiscais
Imagens: Sinai-RN

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O governo do estado do Rio Grande do Norte teve reunião com o Fórum dos Servidores Públicos do RN nesta terça-feira (5/12), quando realizaram paralisação e ato na Governadoria. O secretário estadual de Administração, Pedro Lopes, conversou com a comissão que apresentou reivindicações de diversas categorias, explicando a situação econômica que o Estado enfrenta.

O Fórum terá reunião na próxima segunda-feira (11) para avaliar essa posição e a possibilidade de não haver negociação futura.

Os servidores pediram aumento salarial; realização de concurso público em órgãos como Idema, Detran, Emater, Emparn, Fundação José Augusto, Jucern e Ipern, que tem ação judicial ajuizada; cumprimento dos PCCRs e o direito a greve.


A coordenadora geral do Sindicato dos Servidores Públicos da Administração Indireta do Rio Grande do Norte (Sinai-RN), Zilta Nunes, disse que o momento é de acompanhar a situação:

“Não há expectativas enquanto não for aprovado a continuidade dos 20% do ICMS. Seguimos com atenção para essa situação fiscal do estado que poderá comprometer os salários dos servidores públicos a partir do 2024.”

Já o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Saúde (sindsaúde/RN) seguirá mobilizado. Na quarta (6) e quinta-feira (7), o sindicato vai promover encontros nos locais de trabalho que mais têm sido alvos de problemas, seja de assédio moral, superlotação ou falta de insumos. A pauta financeira inclui a convocação do cadastro de reserva, novo concurso público, reposição de 21,87% das perdas salariais, o piso salarial da Enfermagem dentro do plano de cargos para os ativos e aposentados com paridade e o pagamento do retroativo.

A manifestação ocorreu um dia após o governo divulgar o calendário de pagamento do 13º salário dos servidores e envio à Assembleia Legislativa de projeto de lei visando prevenir e enfrentar o assédio moral, sexual e outras formas de violência no âmbito da administração pública estadual.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.